Roteiro: 3 dias em Key West

keywest

Nessa viagem, o roteiro completo foi de um dia em Fort Lauderdale e Miami e três dias em Key West, mas estarei focando nos três dias em Key West. Alugamos um carro conversível na saída do aeroporto para fazer a viagem de carro, e se tem algo que eu recomendo para esta viagem é alugar um carro conversível. Faz toda a diferença, porque a estrada em direção a Key West é uma loucura de linda. Tem cenários de tirar o folêgo, pontes enormes com somente água de um lado e de outro por quilômetros sem fim.

E só para dar contexto a viagem, fomos eu e Namô(rido) na primavera, finzinho de Maio. Bem quentinho na Flórida, mas não insuportável como fica no verão e principalmente fora da temporada de furacões! :) Mas vamos a Key West.

Key West é o último dos Keys da Flórida e a Highway 1 é a estrada principal que liga todos os Keys. Um detalhe importante para tomar nota é sempre que for procurar um hotel ou atração turística, é importante saber o Mile Marker(Marcador de Milhas) do destino. Dessa maneira fica fácil de encontrar o destino, pois ao longo do caminho é possível notar placas verdes indicando qual é a Mile Marker.

Key Largo, Islamorada, Fiesta Key, Long Key, Marathon, Big Pine Key.. todas elas tem inúmeras opções de passeios, atrações e locais para hospedagem. Não é o foco deste post, mas se você tiver alguma pergunta específica sobre um desses locais, deixe na caixa de comentários que eu tento responder.Para saber mais sobre as distâncias entre os Keys e Miami e também em que Mile Markers eles podem ser encontrados, veja a tabelinha abaixo:

Cidade Mile Marker Distância de Miami
Key Largo 118-90 58 milhas/94 Km
Islamorada 90-63 76 milhas/ 122 Km
Marathon 63-47 111 milhas / 178 Km
Big Pine Key 47-4 128 milhas/ 206 Km
Key West 4-0 159 milhas / 256 Km

Pegamos a estrada em Miami logo cedo rumo a Key West, são 159 milhas com muito cenário pela frente e o ideal é fazer a viagem sem pressa, aproveitando os Keys pelo caminho. Para uma viagem mais longa, é possível se hospedar em algum dos outros Keys, a saber, Key Largo, Islamorada, Marathon, Big Pine Key. Nós concentramos a nossa viagem, por ser curta, em Key West, porque tinha mais atrações concentradas no mesmo lugar. Nossa primeira parada foi em um centro de informações. Já tínhamos bastante informações sobre Key West que pesquisamos na Internet ou fomos recomendados por amigos, mas tenha sempre em mente que mesmo com a internet, você não sabe tudo sobre o local. Principalmente as coisas que estarão acontecendo naqueles dias específicos em que você vai estar na cidade.
De lá, demos uma paradinha no Shell World, uma mega loja de souvenirs. Eles tem duas lojas na área, uma na Mile Marker 106 e outra na 97.6 em Key Largo. Eles tem um monte de coisa interessante, mas é bem armadilha de turistas.
Seguimos caminho e aproveitando a paisagem que é belíssima. Fizemos um trecho bem grande de estrada e só paramos mesmo no Bahia Honda Park, que fica no Mile Marker 37.

Bahia Honda Bridge vista da praia no parque

Sandspur Beach no Bahia Honda Park

Esta ponte é a Bahia Honda Bridge e no parque ficam duas praias: A Calusa Beach que fica ao lado da ponte e a Sandspur Beach. Pra quem gosta de mergulhos com snorkel, tem passeios saindo do parque para o Looe Key National Marine Sanctuary, que é um dos pontos mais procurados para snorkel na área.

Ipod Dance na praia do Bahia Honda Park

Fizemos a nossa “Ipod Dance” nessa parada, que é nossa tradição em lugares românticos em vários lugares do mundo. Um ipod, dois fones de ouvido e a gente dança agarradinho a nossa música predileta.

E depois de passar a tarde na praia, seguimos nossa viagem para Key West. Chegamos na cidade já quase as 6 da tarde.

O Hotel que escolhemos, o Casa Marina Resort é um dos poucos em Key West com praia particular e foi renovado recentemente e o mobiliário agora é estilo moderninho. Quando fomos, estavam em renovação, então conseguimos um desconto super legal num quarto de frente para o mar.

Na varanda do quarto no Casa Marina Resort

Vale a pena fazer o photo tour na pagina do hotel, já que as nossas fotos não fizeram jus a beleza do lugar e nessa época a maior parte das minhas fotos tinha euzinha como tema principal :). Mas é um hotel que recomendo muito, pela localização, perfeita e sem contar o serviço, que é sensacional. A praia, particular, tem serviço que oferece toalhas, frutas, agua e sorvetes. Um delícia.

Depois de fazer o checkin no hotel, fomos para a Duval Street, que é a famosa rua de Key West com seus restaurantes e galerias.

E as galerias de Arte na Duval Street são coisa do outro mundo. Uma das minhas preferidas é a galeria do Michael Godard que pinta em constraste com o preto e seu principal tema é Martini. Sim. A bebiba. Mas os quadros são tão lindos, coloridos e bem humorados que dá vontade de ter um bar na sua casa só pra ter uma pintura dele. A que eu mais gostei foi uma chamada O Último Martini. Outra galeria que merece uma visita, mesmo que virtual, é: A boy and his dog, onde eu fiquei apaixonada pelas pinturas de um pintor americano chamado Don Dahlke que pinta portas e janelas caribenhas. Mas não são simplesmente portas e janelas. Clique no link, ache o nome dele e veja as fotos dos quadros. E a gente teve a oportunidade de ver o trabalho de sombra do cara, que com a iluminação apropriada, muda de manhã e a noite. Impressionante.

Na volta pro hotel, um achado em Key West: Key Lime Pie da Blond Giraffe que é considerada a melhor Key Lime Pie de Key West e da Flórida. Pra mim, foi uma das melhores Key Lime Pies que já comi na vida. Não vou nem postar a foto aqui, pra não dar água na boca. Mas se você vai lá, não deixe de provar.

Dia 2

O segundo dia em Key West começou um pouco nublado, mas calorzinho e eu me mandei pra praia particular do hotel enquanto o namô trabalhava do quarto. Já contei das mordomias do hotel né? Agua, frutas, picolé. A cada meia hora vem o carinha servindo alguma coisa. Depois de uma manhã inteira pegando uma corzinha, saímos para explorar a cidade. E Key West tem programas pra todos os gostos. Logo do lado do hotel, ficava o farol de Key West. Mais uns quarteirões a caminho da Duval Street passamos pela Casa de Ernest Hemingway que atualmente é também um museu e locação para casamentos em Key West.

1. Lighthouse 2. Casa do Ernest Hemingway 3. Igreja de St Paul

A igreja de St. Paul(foto 3 acima) já no burburinho de Duval Street é a igreja mais antiga da Flórida e a que está erguida hoje, não é a original. Esta é a 4a igreja construída neste local, as 3 anteriores foram destruídas por furacões.

Um outro passeio tradicional na cidade é o Conch Tour Train, esse trem da foto abaixo que tem como foco a parte histórica da cidade e faz paradas em Mallory Square e Historic Sea Port.

O tradicional tour de trem pela cidade

E o momento bizarro do dia: Você pode enviar um Côco pintado de Key West como Cartão Postal. Vai sem caixa mesmo. Fiquei só imaginando a cara de quem recebe. :) Mas vamos combinar que é um cartão postal diferente. Pra dentro dos Estados Unidos, custa em torno de 12 doláres. E fiquei sabendo que no Havaí também fazem isso! :)

Envie um Coco-Cartao-Postal

Depois de passar a tarde andando pelas lojinhas e galerias de Duval Street, nossa próxima parada foi assistir o Pôr do Sol em Mallory Square. Meu conselho: chegue cedo, pelo menos umas duas horas antes do sol se por, pra dar uma voltinha por Mallory Square e aproveitar as atrações locais. Tem o engolidor de fogo, o ilusionista e outras figuraças que com certeza fazem do seu fim de tarde um evento divertido. Além de claro, muitas barraquinhas com comida, artesanato e fotografia.

Mallory Square

Uma das “atrações” em Mallory Square

Depois sente no cais pra ver o pôr do sol, ou, se preferir, escolha um Sunset Cruise, que vai além da ilha que você vê na foto e veja o sol se pôr na água. Nesse dia as nuvens estavam densas e a máquina, que era automática, puxou tudo pro azulão.

Por do Sol no Mallory Square

Pra terminar o dia, uma paradinha para jantar no Willie T’s, que é um restaurante de estilo casual, que tem uma área do lado de fora com vista para Duval Street. Ótimo para “people watching”.

Dia 3

No último dia em Key West, rata de praia que sou, aproveitei as últimas horas na cidade na praia particular do hotel. Só pra constar, a praia é bem calminha, águas tranquilas, mas em frente ao hotel é cheio de pedras. É preciso subir no pier e descer as escadinhas para poder nadar tranquilamente.

Vida mansa…

Key West tem várias outras praias, que merecem a visita, apesar de não considerar que sejam extraordinárias. A ilha é pequena, portanto, as praias são também pequenas. Escolha a que melhor se adapta ao seu estilo:

  • Fort Zach Taylor – É uma das melhores de Key West, mas é cobrada entrada e tem também muitas pedras.
  • South Beach – Fica no final da Duval Street e é bem rasinha.
  • Dog Beach – É praia dos cachorros. Literalmente. Cheia de pedras e bem escorregadia.
  • Rest Beach – Fica no final da White Street e tem um pier onde se pode pescar. Areia fofa.
  • Smathers Beach – É a praia das atividades, onde tem de tudo para alugar: kayaks, jet ski, cadeiras e tem também redes de voleibol. Essa praia não é natural, foi criada. Fica na South Roosevelt Boulevard.

Depois de aproveitar a manhã na praia e antes de pegarmos a estrada de volta pro aeroporto, uma última parada obrigatória pra quem vem a Key West: A marca do Southernmost Point, ou ponto mais ao sul dos Estados Unidos. São apenas 90 milhas até Cuba. Reza a lenda, que em dias de céu claro é possível ver Cuba daqui. Acredite se quiser! :)

Ponto mais ao sul dos Estados Unidos

Parada feita, fotos tiradas… hora de pegar a estrada de volta pra Miami. E pensar em quando é que a gente vai voltar…