10 Anos nos Estados Unidos: Você Pergunta e Eu Respondo

claudiadc

É, chegou aquele diazinho do ano que eu resolvo dar um tempo nas postagens de destino aqui no blog, morro de saudades do blog pessoal e dou uma olhada pra trás. Não dá pra negar, 16 de Outubro é um dia inesquecível pra mim… foi quando cheguei aqui nos Estados Unidos, com um contrato e visto de trabalho pra uma consultoria em TI no banco por 4 meses. Mas esta história eu já contei aqui no blog quando comemorei 8 anos: Como eu Vim parar aqui? e se você tem curiosidade de saber e ainda não leu, corre lá que eu espero! Ano passado, pra comemorar os 9 anos, eu contei as 9 Coisas que amo em Washington DC. Depois disso veio o post 10 Coisas sobre a minha vida viajante que talvez você não saiba e alguns meses atrás resolvi resgatar e atualizar um post que estava no meu blog pessoal e que fazia muito sucesso  Trabalhar e Morar nos Estados Unidos: Vale mesmo a pena?. Eu acho que esses quatro posts dão uma boa resumida no meu lado pessoal e respondem muitas das perguntas que a maior parte das pessoas tem curiosidade de saber, mas como eu sei que tem sempre uma coisa ou outra, seja pessoal, profissional ou de viagens que fiz, do blog, da profissão, do FB, que eu não talvez não tenha respondido, esse ano resolvi fazer diferente. Para comemorar os 10 anos, eu tinha pensando em várias coisas… fazer uma lista de 10 outros lugares que eu moraria, ou 10 destinos que eu ainda quero conhecer nos Estados Unidos(e esses posts talvez venham também em algum outro dia!) ou mesmo 10 Coisas que eu não gosto aqui (esse tive dificuldade de passar do 3o, mas acho que mais uns anos e eu consigo!). Mas acabei pensando no seguinte… já que muitos de vocês me acompanharam desde o início(tem gente que acompanha bem antes deste 10 anos por conta do blog pessoal!!!) e tem muita gente que também chegou por aqui faz pouco tempo, estou abrindo este post para perguntas de vocês. Estou assumindo que ainda haja coisas que vocês não saibam ou queiram perguntar, mas se não houverem também, sem problemas, o que significa que consegui responder a maior parte das dúvidas nos posts acima. Mas se tem perguntas, mandem brasa nos comentários… e não se preocupem, podem ser perguntas “bobas”(minha cor favorita ou meu país favorito hahaha), perguntas técnicas(sobre FB, mídias sociais – a que mais escuto: você pagou pelas curtidas da página do blog no FB? ), ou sobre Washington DC, ou morar nos Estados Unidos, ou sobre o cotidiano da vida americana. Vocês podem perguntar qualquer coisa, desde que seja com respeito, que seja algo que eu saiba responder(me perguntar sobre como é o mercado de trabalho para quem faz medicina/economia/coloqueaquiseucurso vai ter uma resposta tão vaga quanto a pergunta, porque eu não sei ;))  e finalmente, que possam ser respondidas num blog família. hehe Então vamos celebrar comigo? Afinal 10 anos não é pouca coisa não! Pegue uma taça de vinho, champagne, coca-cola, água ou a bebida de sua preferência e brinde comigo! Cheers!!!! Não se acanhe não.. pergunte aí! 😉

54 COMENTÁRIOS

  1. Claudia, não sei nada nada de inglês mais. Tem algum curso aí no eua para Brasileiros que querem aprender a lingua do zero?
    Obrigada

  2. Olá Claudia.
    Parabéns pelos 10 anos nos E.U.A.
    Minha curiosidade é saber se depois de 10 anos vivendo em uma cultura totalmente diferente da nossa, você conseguiria viver novamente no Brasil aonde as instituições não funcionam ou funcionam precariamente e pra se dar bem parece que somente com o “jeitinho brasileiro”.

    Saudades… Beijos!

    Marcelo

    • Oi Marcelo,

      saudades e que bom te ver por aqui! 😉
      Pergunta difícil e se fosse alguns anos atrás, eu talvez nem soubesse responder. Mas a minha conclusão é o seguinte: mesmo aqui há burocracias, há gente querendo se dar bem (afinal aqui tem gente de tudo que é lugar do mundo), tem gente honesta e picareta como em qualquer outra sociedade, tem coisas que infelizmente não funcionam bem (no meu ponto de vista – saúde é um deles), tem politicagem, tem gente o famoso QI(quem indica), tem gente que só quer e se preocupa com o seu, agora. A diferença é que acho que a escala é ainda um pouco menor, dependendo de onde você mora por aqui.

      Mas esse ano fui passar dois meses no Brasil e vi que conseguiria morar sim, apesar dos pesares. Sentiria falta de algumas coisas daqui, mas depois de 10 anos, já passou a fase da lua de mel, então eu sei que nenhum lugar é perfeito… e Estados Unidos agora é o melhor lugar pra mim nas atuais circunstâncias, mas se precisasse voltar agora, acho que iria sem problemas.

  3. Oi, Claudia! Sempre acompanho seu blog e suas postagens no Facebook pois sempre tive o sonho de morar nos Estados Unidos. Entretanto, o destino não me possibilitou realizá-lo até o momento, mas ainda quero muito morar por lá. Meu marido trabalha na área de TI assim como você e viu que há muitas oportunidades de emprego aí no país. Já fomos duas vezes à passeio para Orlando, pesquisamos e conversamos muito com brasileiros que moram por lá a respeito. Minha dúvida é a seguinte: vimos que o visto de trabalho é “temporário” e pode ser estendido por, no máximo, 3 anos, se a empresa contratante assim desejar, é isso mesmo? Pois nosso receio é justamente este, de largar tudo aqui no Brasil, não conseguir renovar este visto por mais de 3 anos e ter de retornar ao Brasil (frustrados rsrs). Sabemos que há esta possibilidade, mas será que há alguma forma de permanecer no país por mais tempo, uma vez que conseguir o green card é mais complicado?
    Agradeço demais se puder nos ajudar.
    Beijos e sucesso para você!

    • Juliana,

      eu tenho a seguinte atitude: se apareceu uma oportunidade, agarre! Eu vim pela primeira vez com um visto e contrato de apenas 4 meses. Não tinha certeza de nada, mas resolvi arriscar e me dedicava, fazia bem o meu trabalho e fazia networking. Resultado, 10 anos depois ainda estou aqui e ainda tenho contratos desse tipo! Eu sempre acho que a experiência é muito válida e a bagagem internacional, se não te garantir estadia aqui pra sempre, dá uma levantada no seu curriculum. Eu acho que não tem que pensar em 3 anos voltar frustrados… até porque 3 anos é um tempão e tanta coisa pode acontecer, vocês podem não curtir (acontece com muita gente que vem passear adora e depois vem morar e não se adapta), venha pensando que vão ser 3 anos excelentes profissionalmente e pessoalmente. O greencard pode ser pedido pelo empregador, mas se não me engano tem q ser depois dos primeiros 3 anos. Boa sorte na decisão que tomarem! 🙂

  4. Olá, gostaria de saber se existe alguma forma de conseguir visto para morar nos EUA?
    Já ouvi falar da concessão de visto para quem deseja abrir um negócio, vc sabe me dizer se isso realmente existe e se é difícil conseguir?
    Tenho capital investido aqui no BR mas gostaria muito de tentar fazer um investimento fora.

    OBG e Parabéns pelo sucesso!!

    • Hoje é um dia das Juli – anas e ane por aqui 😉
      Você quer fazer que tipo de intercambio? Ingles ou High School/Universidade?
      Indico que você procure um lugar que já queira visitar, assim mata dois coelhos numa cajadada só. 😉 San Francisco e Nova York são ótimas opções, mas a questão de moradia é sempre mais cara. Flórida e outras cidades da Califórnia podem ser boas opções também.

  5. Oi Cláudia, parabéns pelo aniversário eheheh

    Tenho uma dúvida financeira: você tinha ótimas perspectivas profissionais no Brasil e, imagino, uma boa renda. A tendência é que estivesse ocupando bons cargos no Brasil ou até mesmo que estivesse com sua própria consultoria.

    Dito isso, gostaria de saber se hoje você está melhor do que “poderia estar” caso não tivesse imigrado.

    Sei que não há resposta exata para essa pergunta (afinal o futuro no Brasil está sendo estimado e nada garante que esteja correto), mas se houvesse possibilidade de comparar a Cláudia bem sucedida nos USA, com a Cláudia bem sucedida no Brasil, qual estaria melhor?

    Um abração e que venham os próximos dez anos!

    • Pergunta difícil de responder, porque tem muitos “E se…” na história. Eu certamente voltei muitas casinhas atrás no meu desenvolvimento profissional quando resolvi vir pra cá, mas como disse no outro comentário nesse mesmo post, resolvi arriscar. Tive que percorrer um caminho longo aqui nos Estados Unidos até chegar ao ponto que me pagassem “mais de 6 digítos por ano” como dizem aqui. Mas tracei um caminho diferente, me especializei, criei oportunidades com o que eu tinha de diferencial(ser brasileira e falar português!). Fiz coisas(comecei a dar palestras) e tive um cargo (de diretora para américa latina) que provavelmente não aconteceriam se estivesse no Brasil. Depois fiz outra escolha arriscada, quando resolvi sair dessa empresa americana onde estava(que estava indo de mal a pior com a crise) e apostar no blog e voltar a fazer consultoria no banco Mundial. E pausa, pra dizer que passei por períodos complicados onde tive questionada essa decisão várias vezes, por mim, família e amigos.

      Então eu vejo o meu sucesso hoje em dia não só mensurado pela parte financeira, mas pela qualidade de vida que eu levo. De poder exercer minha criatividade, de fazer o que eu amo, que é viajar e escrever, de ganhar dinheiro com o que amo(viajar e gerenciamento de conteúdo e mídias sociais), estar mais tempo perto da família, poder levar e trazer meu filho na escola numa quinta-feira como hoje e fazer o dever de casa com ele e ainda ter participação em projetos relevantes (como esse do banco que estou agora com a ONU).

      Eu costumo olhar pra frente e pensar que hoje estou melhor que ontem e amanhã quero estar melhor que hoje! 😉 Espero que tenha respondido sua pergunta.

  6. adoro suas dicas. Já segui várias. Deram super certo.
    Queria saber como vc consegue ficar tanto tempo fora do banco , fazendo viagens pelo blog.
    Bjos boa sorte

    • ha! Ótima pergunta e as pessoas sempre me perguntam isso… bom, eu dou consultoria no Banco Mundial e uma das premissas de consultoria no Banco é que você não pode trabalhar mais de 150 dias úteis por ano… Isso quer dizer que num ano que tem em média 260-265 dias úteis, eu tenho pelo menos 110 que não posso trabalhar no banco – voilá! 😉 Muita gente que trabalha no banco como consultor(a) tira dois a tres meses de ferias no fim de cada contrato, ou espaça essas “férias” pelo ano. Como a gente ganha por dia trabalhado, quando não estou trabalhando, não ganho! 😉 Há várias maneiras de fazer e o dificil normalmente é conseguir conciliar isso com os projetos. Mas cada ano eu tenho diminuído mais e mais meus dias no banco e só pego projetos que não me obrigam estar lá todos os dias. Uma outra coisa que faço é que já deixo bem claro para o gerente do projeto em questão que eu tenho o blog e que tenho viagens durante ano, que algumas são flexíveis e outras nem tanto. Como já trabalho com eles há muito tempo, eles já conhecem o meu trabalho, confiam que se precisarem de alguma coisa urgente, mesmo que eu esteja fora, eu vou resolver – como no meio da viagem da Alemanha que tive que colocar um site no ar, fazer quality assurance e conversar com os programadores na Índia. Eu ficava o dia inteiro fazendo sightseeing e a noite, no quarto do hotel, trabalhava pra que tudo estive no lugar até umas 3 da manhã. Fico meio louca esses dias, mas isso é raro de acontecer. Normalmente eu tenho tempo e flexibilidade pra planejar tudo com antecedência e deixar tudo certinho antes de viajar 🙂

  7. Oi, Tudo Bem??

    Tenho muita vontade de morar nos EUA desde de criança, mais precisamente na região de NY ou mesmo na Florida, já tive oportunidade de ir de Férias pra ambos os lugares e falo inglês até que bem. Gostaria de tentar a sorte ano que vem ai nos EUA, gostaria de saber umas dicas de como começar, aonde buscar empregos, uma dica de onde achar moradia por um preço justo, e se é mais facil tentar um visto de Trabalho daqui do Brasil, ou ir como turista e tentar se legalizar com o visto de trabalho dai dos EUA.

  8. Parabéns pelos 10 anos vivendo nos Estados Unidos!
    E como vc mencionou sobre as perguntas técnicas (mídias sociais – se você pagou pelas curtidas da página do blog no FB?)…
    Queria umas dicas de como aumentar as curtidas numa Fan Page. Vc acha que pagar é um bom negócio?
    Ou postar vídeos é uma boa para aumentar a visualização?
    Qual o seu conselho?
    Grata!
    Fran

    • Fran,

      eu sou totalmente contra pagar, porque cria um círculo vicioso… o ideal é que você vá construindo devagar e aos poucos criando engajamento com os seus leitores. É um trabalho de paciência. Dê uma olhada nas páginas que você acha que são um sucesso que estão na mesma área que você, observe o que elas fazem, como e quando postam. Descubra o que seu publico mais curte: imagens, videos, links, perguntas? Dê uma diversificada e paciência e consistência.

  9. Olá, Cláudia. Parabéns pelos 10 anos! Acho que essa mudança de país, e suas andanças pelos EUA, não tem preço. Experiências únicas que ninguém tira de você.
    Minha dúvida e preocupação é com sistema de saúde. É difícil entender como um país de primeiro mundo com tantos avanços, tem uma rede de saúde tem complicada e que pouco ou quase não oferece apoio ao cidadão. Como você tem se virado nesses anos, principalmente tendo criança?
    Beijos

    • Denise,

      obrigada… e o sistema de saúde é uma das coisas que me tiram do sério. E na verdade só tem uma saída: ter um bom plano de saúde e ainda uma boa reserva financeira no banco. Porque mesmo com plano de saúde, quando você é hospitalizado existem coisas que não são cobertas pelo plano e dependendo do plano, tem o “deductible” que é quanto você tem que pagar antes do plano começar a pagar. 😉

      • E você já passou algum aperto por conta disso? E essa questão que a faria desistir de viver nos EUA, e talvez cogitar voltar para o Brasil? Muito obrigada pelo retorno! Bjs e muito sucesso!

        • Já passei aperto por conta disso sim, fui parar no hospital e saí de lá com uma conta enorme, mesmo tendo plano de saúde. Dá uma dor no coração ver que mesmo pagando tanto dinheiro por mês, ainda tive que deixar quase o mesmo valor anual por conta de anestesista que não é coberta e outras coisinhas mais. E não… sinceramente já me acostumei e hoje em dia tento me preparar melhor pra isso.

    • Rutileia,

      infelizmente a cidadania europeia não ajuda em nada. Como ter cidadania americana não ajuda em nada na Europa. Para morar aqui é preciso de um visto de residência que pode ser adquirido através de trabalho (se você tiver uma das profissões em demanda como Tecnologia da Informação e etc..) ou familiares. Há também uma opção de loteria, que é exatamente como o nome diz, uma loteria! 😉

  10. Olá querida amiga, estou estudando inglês, quero viajar para estudar e ter um maior conhecimento, sou uma jovem senhora, tenho três filhos todos universitários, gostaria de saber se tenho chance de encontrar uma casa onde eu possa tomar conta de pessoas de idade para que eu tenha condições de ganhar o meu dinheiro e estudar. Quero a sua opinião tenho chance/ Existe algum site que eu possa me inscrever. Obrigada, um abraço

    • Maria Valquíria,

      essa eu vou ficar devendo, porque realmente não tenho a menor idéia. Nunca ouvi falar, mas pode ser que exista. Normalmente eu diria pra vir com visto de estudante, mas pra isso, o consulado normalmente pede uma declaração de renda. Vou tentar dar uma pesquisada e ver se encontro algo sobre o assunto!

  11. Olá, boa noite. Minha filha de 16 anos sonha dia e noite estudar nos EUA. Vive em função disto. Me preocupo muito, porque ela está se afastando de tudo no Brasil. Vale msm a pena?? Obrigada.

    • Olha, tem que ver se ela está determinada ou obcecada com a idéia de morar aqui. Há uma linha tenuê que separa os dois e no fim das contas é importante estabelecer a diferença, Porque determinação é saudável, obssessão não.
      Eu adoro morar nos Estados Unidos, mas meu país é o Brasil, minhas raízes estão lá.. é importante pra mim manter a ligação com o país, com a família e meus amigos.
      É imprescindível conversar bastante com ela, entender o que se passa na cabeça dela, porque aos dezesseis anos a gente costuma ser muito passional (eu era assim pelo menos). Vale a pena? Depende de cada um e do que você tem que abrir mão pra isso.

  12. Ola Claudia! Leio sempre seu blog e adoro suas dicas de viagem. Estou morando em New York há 01 ano na região de Westchester e está sendo uma experiência e tanto pra mim e minha família. Gostaria de saber se nesses 10 anos você conseguiu fazer amizades com americanos? Conta um pouco a respeito da sua visão a respeito dos americanos nessa questão de relacionamento profissional, social. Parabéns pelo aniversário de 10 anos!

    • Cassia,

      eu sou casada com um americano, então pra começar, tenho um lado da família que é todo americano, com primas que eu adoro, então já existe um lado social aí. Tem diferenças culturais, mas tem coisas que eu ainda curto mais na cultura deles que na nossa: marcar e comparecer, combinar um horário e estar lá na hora certa, não aparecer na casa do outro sem avisar.

      Washington DC é uma cidade extremamente internacional, então eu tenho amigos de várias partes do mundo, inclusive do Brasil e muitos americanos no meio. Me relaciono muito bem com eles tanto profissionalmente como socialmente, até porque há sempre uma abertura e curiosidade por que sou do Brasil. Hoje em dia tenho muitos amigos americanos por causa da escola do meu filho, você vai criando laços por causa das crianças.

      É uma cultura diferente, mas são gente como a gente… tem os que “clicam” logo de cara, tem os que você quer distância, tem os legais, tem os fdp.

  13. Olá, eu faço faculdade de Secretariado Executivo Trilingue, meu sonho é fazer intercâmbio em NY, mas além disso quero morar e trabalhar em NY exercendo a profissão! Minha dúvida é se já é comum encontrar oportunidades boas com salários bons nessa área! Bj e parabéns vc é uma guerreira!

    • Juliana (desculpe, mas preciso comentar, teve um monte de Julianas curiosas nesse post! ahahha)

      Parabéns pela faculdade e falar três línguas com certeza já é um bom começo, mas não tenho a menor idéia de como é o mercado nessa profissão. Não sei o quão bem você fala o inglês por exemplo, mas sempre digo que a gente não fala a língua fluentemente até viver no país e sua vida depender disso, então intercâmbio é um excelente passo e aí aproveite esse período para pesquisar sobre a sua área aqui. 🙂 Boa sorte!

  14. Claudia, já fui várias vezes aos EUA e sempre tive uma curiosidade….comparativamente ao Brasil, qual é o salário anual de alguém da classe média americana?

    • Essa pergunta é muito difícil de responder, porque depende muito do estado e cidade onde você mora. O depto do trabalho aqui diz que classe média é quem ganha entre $25,500 a $76,500 por ano. Te garanto que se alguém estiver ganhando $25,500 aqui em Washington DC, mal está conseguindo pagar por moradia, mas em outros estados como Flórida por exemplo, isso já não seria problema. Então a regra normalmente é que em cidades com salários maiores, o custo de vida também é maior.

  15. Oi Claudia,
    Ja que vc disse que pode perguntar qq coisa. Minha duvida eh sobre como vc faz com D.em relacao ao portugues. O Kenzo ainda esta pequeno, mas tenho receio que ele nao queira falar portugues comigo, pq vai saber que a mamae fala ingles. Eu soh falo portugues com ele, mas ano que vem ele vai para o daycare e ai vao ser 8 horas de ingles por dia. Ja li muita coisa sobre bilinguismo inclusive tudo la no Colagem, mas queria saber a sua experiencia se nao for muita xeretagem da minha parte.
    Beijos e parabens sempre pelo Aprendiz.

    • Tania,

      assunto complicado, porque estou neste momento numa batalha com o D. por causa do português. Até os 3 anos eu falava português com ele direto, então o português dele era bem razoável. Ele sempre entendeu mais do que falou. Mas depois ele entrou na escolinha, onde falava inglês o dia todo e ia pra avó americana depois da escola e quando a gente o pegava na avó, na volta pro trabalho, normalmente ele já chegava em casa dormindo, então ele passou a ter português no fim de semana. O que aconteceu foi que o inglês dele deslanchou e o português ficou parado no vocabulário de toddler. Ele sabe todas as palavras básicas, os comandos básicos ainda são em português: vai fazer xixi, vamos tomar banho, abre a mão, coisas básicas, mas ele não consegue mais ter uma conversa. A gente foi pro Brasil e melhorou bastante, mas agora de volta em casa, ele se recusa a falar português quando o pai está por perto, ou se recusa terminantemente a me responder em português. Eu leio livros em português com ele, mas confesso que é bem complicado e me vejo a maior parte do tempo falando em inglês porque é mais fácil. Cada criança é um caso e eu quero que ele aprenda a língua, então começou fazendo uma aula de português aos sábados, que eu sei que não é suficiente, mas pelo menos ele vê outras crianças na mesma situação e espero que isso seja motivação pra ele aprender.

      • Claudia,
        Obrigada de coracao pelo depoimento. Te fiz a pergunta pq ainda nao conheci nenhuma crianca filha de imigrante(s) que falam ingles que domina bem a lingua estrangeira dos pais. Conheco muita gente que os filhos falam a lingua dos pais mais por falta de opcao, ja que os pais falam pouco ou quase nada de ingles. Isso eh uma luta mesmo, pq a gente chega cansada do trabalho, passa pouco tempo com o filho e ainda tem que ficar nessa luta de falar portugues. Tenho uma amiga brasileira com marido americano que optou por nao falar portugues com os filhos pq ela achou que ia causar um desgaste muito grande no casal e nas criancas. Eu nao julgo ninguem, mas eu nao consigo abandonar a minha lingua totalmente. Adoro ler em portugues, ver filmes, escrever e conversar. Na minha familia de japoneses minha mae teve que aprender japones na marra pq em casa soh se falava japones e os avos da minha mae nunca aprenderam a falar portugues mesmo vivendo no Brasil por 40 anos. Ja a minha avo fala portugues, mas tenho certeza que ela ia adorar se eu falasse japones, pq eh assim que ela expressa os sentimentos mesmo depois de 80 anos no Brasil 🙂 bjs.

        • Tania,

          eu também não consigo e acho super necessário, principalmente pra ele poder se comunicar com a família no Brasil e acho importante saber uma outra língua, então que seja o português :). Hoje encontramos vários amiguinhos brasileiros e foi uma graça a mistura de inglês e português entre eles e ele contando(em inglês) do Chico Bento pras crianças, uma história do gibi que a gente leu ontem antes de dormir, em português. Então ele não é fluente como eu gostaria(mas ele até lê em português, as vezes sem entender e me pergunta), mas ele tem o português inserido na rotina. Outra coisa da festinha de hoje, a gente faz questão sempre de cantar Parabéns pra manter viva um pouquinho das nossas tradições. Mas eu sempre digo que tem que ser algo prazeroso pra eles. E se eu pudesse mudar uma coisa, teria começado essas aulinhas de português bem mais cedo, porque eu achava que só eu daria conta, mas não foi bem assim.

  16. Oi! Acabamos de conhecer seu blog através do site Melhores destinos.
    Lendo este último post, gostamos da maneira franca como escreve.
    Hoje, não temos qualquer pergunta para você.
    Parabéns pelos 10 anos de EUA!

  17. Olá!

    Primeiro, parabéns pelos seus 10 anos de EUA!

    Eu estou planejando fazer a minha viagem de formatura em Janeiro/16 para os EUA, e tem tantos lugares que queria conhecer que nem sei por onde começar. Pretendo passar uns 30 dias viajando e um dos destinos definidos é Orlando (Disney/Universal). Quais lugares você acha que vale mais a pena conhecer?
    Qual seria a sua sugestão para um roteiro de 30 dias?

    Obrigada!

    • Daniele,
      A pergunta foi pra Claudia, mas eu vou tentar ajudar também (: até porque deve ser dificílimo conciliar blog com trabalho, filhos, marido, casa, viagem, ufa!

      Orlando é o lugar da diversão, ao meu ver. Existe uma variedade de parques bem grande e cada um vale a visita! Nenhum parece com o outro! O primeiro do roteiro deve ser o Magic Kingdom, da Disney. A atmosfera lá é algo realmente maravilhoso, nem consigo explicar a sensação boa que se sente lá dentro. Os da Universal são mais voltados aos filmes e o parque parece uma enorme cidade cinematográfica. Além disso, existe uma vida noturna no complexo do parque bem movimentada (vá muito bem arrumada haha). O Sea World tem uma das montanhas russas mais agradáveis (sim, agradáveis) que já fui, a Mantra. Além disso só me lembro dos shows com golfinhos e baleias (eu adorei).

      Além disso, recomendo altamente (!!!) uma visita ao Busch Gardens, em Tampa (cidade vizinha a Orlando). Lá tem as montanhas russas mais radicais! Pesquise pela “Sheikra” e verás, haha. Mas atenção: qualquer garoa PARA o parque, literalmente. Quando eu fui começou a chuviscar enquanto eu estava na fila da montanha russa. O brinquedo ficou fora de atividade até uns 40 minutos depois que PAROU de chover. Ou seja, vá em dias ensolarados, de preferência.

      Essas são só algumas opções, Orlando tem mais um monte de outras atrações e parques além dos tradicionais. Vale a pena dar uma pesquisada na internet.

      Boa viagem.

  18. Olá Claudia,
    Estarei eu meu marido e 2 filhos adolescentes em Atlanta no dia 23/12/2014. Gostaria de saber onde podemos jantar no dia 24/12,pra comemorar o Natal? Você tem alguma dica? E a nossa primeira vez em Atlanta,depois seguiremos de carro para Nashiville e Menphis.
    Gostei muito das suas orientações. Abraços.

  19. Seu blog é incrível !
    Sou estudante do Ciência Sem Fronteiras, estou em Madison-WI e gostaria de saber se vale a pena viajar no final/começo do ano pra Washington, Boston e NYC.
    Gostaria de uma viagem não muito cara e divertida.
    Provavelmente eu viaje sozinha, então gostaria de saber se este é um trajeto que eu consigo aproveitar mesmo no inverno.
    Obrigada e parabéns pelo blog !

  20. Claudia, parabéns pelo blog, estou indo pela primeira vez com minha esposa ao EUA, mais precisamente NY, como é nossa primeira vez em NY estamos literalmente com um frio na barriga primeiro por ser a primeira vez segunda pelo frio que vai estar . Embarcamos dia 26/12 voltamos dia 07/01
    Minha dificuldade uma indicação para um jantar de ano novo, pois passar ano novo na times parece que é coisa de indio, muita gente e frio . Vc tem algum para indicar. Vou ficar no hotel Pensilvânia, na frente no Ginasio Madson

  21. Claudia, olá!! Preciso da sua ajuda, não estou conseguindo encontrar essa informação em nenhum lugar. Planejei de ultima hora uma viagem pra Califórnia e Vegas pra janeiro d 2015. E o vôo é dia e volta para L A. Meu projeto é faZer L A san Francisco e de san Francisco ir para Vegas de carro. Mas não sei qual a melhor opção para fazer o trajeto san Francisco las Vegas. No Google ele indica o caminho pela i-5 de 8 horas. Mas fico pensando se não é mt sem graça! Minha intenção é gastar no máximo 1 dia e meio. Por exemplo sair bem cedo se san Francisco e chegar no máximo antes do meio dia do dia seguinte em vegas. Vc tem alguma dica? Já fez esse trajeto!? Muito obrigada!!!

  22. Ainda dá tempo de fazer uma perguntinha? 😀

    Sou estudante de jornalismo no Brasil e vou abandonar o curso por falta de perspectivas de salário e emprego na área.

    Há cerca de 1 mês que estou planejando começar do zero em um college do Canadá em TI ou arquitetura.
    Penso que essa é uma ponte mais prática e barata para alcançar bons resultados, inclusive nos EUA, pois acredito que seja mais “viável” conseguir emprego nos EUA tendo residencia e formação canadenses.

    Gostaria da sua opinião.
    Qual a visão dos empregadores com relação as pessoas formadas em college?
    A área de TI realmente oferece tantos empregos e bons salários como dizem? Pq o que mais escuto falar é que “formou, tá empregado”.
    Você acha que esta área corre o risco de se tornar saturada devido ao aumento da procura por esse curso? Tenho visto uma quantidade enorme de brasileiros procurando esse curso no exterior (vide fóruns de imigração).

    Vou ficar por aqui pra não dar um nó na sua cabeça com tanta pergunta difícil haha
    Mas desde já agradeço a atenção e espero ansiosa pela sua resposta.

    Tudo de bom! beijinhos

  23. Ah, esqueci de uma coisinha.

    Você acha que realmente as chances nos EUA aumentam com formaçao, experiencia e residencia canadenses?

    Ou é mais vantajoso fazer uma faculdade no brasil?

  24. Olá..
    gostei muito de ler seu post
    precisava muito de uma ajuda…
    queria passar 6 meses ai a cake designer , ou algum curso de cozinha, pois não consigo achar nada como posso conseguir, queria morar em Atlanta, Geórgia

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente!
Por favor entre seu nome aqui