Rio de Janeiro para os Amantes da História: um tour pelo Centro da cidade

33

Em julho passado fiz um tour maravilhoso chamado Amantes da História pelo Centro do Rio de Janeiro com a Bia Tognarelli, então guia da Rio Walks. Infelizmente a Rio Walks está fechando as portas, mas felizmente a Bia vai continuar o seu trabalho de guia pra quem quiser fazer esse passeio, então a dica continua valendo. Fiz esse passeio no dia que viemos embora pela manhã (o vôo era a noite) e que coincidiu com o dia da chegada do Papa ao Rio, então eu deixei as crianças em casa e fui sozinha, pra poder escapar mais rápido caso a cidade estivesse um caos! Por causa desse dia conturbado, eu fui a única pessoa que apareceu pra fazer o tour, então o que era pra ser uma experiência em grupo acabou virando um roteiro mais pessoal – melhor pra mim, claro. 🙂

Encontrei com a Bia na Cinelândia em frente ao Cinema Odeon, e o passeio terminou lá no Mosteiro de São Bento, perto da Praça Mauá. Foram aproximadamente 4km de caminhada, passando por um monte de lugares super familiares dos quais muitas vezes eu não conhecia a história – e alguns foram uma verdadeira descoberta! Pra vocês entenderem melhor: eu trabalhei no Centro do Rio, mais precisamente na Cinelândia, e andava por ali indo e vindo das barcas na Praça XV pra ir pra casa em Niterói. Mas quando a gente está com pressa e tem horário a cumprir no dia-a-dia, realmente não tem nem tempo de parar e prestar atenção em tantas construções importantes na história do Rio de Janeiro e do Brasil que possam estar no trajeto…

Vamous ao tour! Fiquei no maior dilema sobre a melhor forma de escrever sobre o tour, porque se eu for recontar todas os fatos históricos que a Bia contou, isso aqui vira um livro. Fora que eu obviamente não vou me lembrar todos os detalhes, mesmo tendo anotado um monte de coisas. Então vou mostrar o roteiro, falar só o básico de cada lugar e dar os links pra maiores informações pra quem quiser, assim esse post não vira um tratado de história do Brasil.

Começamos na Cinelândia (o nome certo é Praça Floriano Peixoto), em frente ao cinema Odeon, que foi o último dos grandes cinemas construídos (em 1926) na época de ouro da Cinelândia – a praça tem esse apelido justamente por causa do número de cinemas (7) que existiam no local. O Odeon é o único que continua em operação, e tem uma programação intensa.

A Cinelândia numa segunda-feira de manhã, e a Bia em frente ao Odeon. Bora?
A Cinelândia numa segunda-feira de manhã, e a Bia em frente ao Odeon.

A Cinelândia fica no finalzinho da Avenida Rio Branco, que originalmente se chamava Avenida Central, e foi construída no início do século XX pelo prefeito Pereira Passos na grande reforma urbanística do Rio de Janeiro (conhecida como Bota Abaixo, já que centenas de casas e cortiços foram demolidos para abrir espaço para ruas e avenidas mais amplas, para melhor arejar e sanear o Centro). A Avenida Central ligava o porto na Praça Mauá até a Glória, e era (ainda é) a principal avenida do Centro.

Viaje com internet no seu celular

Vai viajar para o exterior? Já chegue no seu destino com o celular funcionando. A EasySim4u oferece plano de dados ilimitados em 140 países, para que você fique conectado a internet. Utilize o cupom para ganhar frete grátis: APRENDIZDEVIAJANTE! Veja meu post: Chip EASYSIM4U: Como usar a Internet na Europa.

Ao redor da Praça da Cinelândia ficam o Theatro Municipal (de 1909, e que passou por uma restauração recente, está lindo!), a Biblioteca Nacional (de 1910), o Museu Nacional de Belas Artes (que foi a Escola Nacional de Belas Artes, de 1908), a Câmara de Vereadores (Palácio Pedro Ernesto, de 1923), e o também histórico bar Amarelinho (fundado em 1921). Em frente ao Theatro fica o Monumento a Floriano Peixoto (de 1910), com diversas esculturas representando 4 grupos brasileiros (negros, índios, colonizadores brancos e missionários), pensamentos positivistas e o Marechal, no topo. A Bia explicou a história do monumento, dos prédios, do Bota Abaixo, haja informação!

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Theatro Municipal do Rio de Janeiro
A Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro
A Biblioteca Nacional no Rio de Janeiro
Palácio Pedro Ernesto (Câmara Municipal)
Palácio Pedro Ernesto (Câmara Municipal)
Monumento Marechal Floriano Peixoto, na Cinelândia
Monumento Marechal Floriano Peixoto, na Cinelândia

Da Cinelândia seguimos pela Avenida 13 de maio (pela lateral do Theatro Municipal) até o Largo da Carioca, rumo ao Convento de Santo Antônio. Mais um dos lugares que eu tinha passado em frente trocentas vezes e nem sabia que poderia entrar. O Convento começou a ser construído em 1608 e só foi finalizado em 1620, no alto do morro que ficava em frente a Lagoa da Carioca, que foi aterrada com as obras de urbanização do Centro. O chafariz da Carioca passou a trazer água (que vinha pelo Aqueduto da Lapa) para a população local.

Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca
Convento de Santo Antônio no Largo da Carioca
O jardim interno do Convento de Santo Antônio
O jardim interno do Convento de Santo Antônio

O Convento está passando por uma restauração que vai levar anos, mas vai ficar incrível com o que já descobriram por baixo de camadas de tinta ao longo dos anos. Mas eu fiquei mesmo impressionada com a Igreja da Ordem Terceira de São Francisco Penitência (construída entre entre 1657 e 1733) – minha gente, eu nem imaginava que uma igreja barroca assim existisse no Rio de Janeiro, achei que era coisa que eu tinha que ir nas cidades históricas de Minas pra ver ao vivo. De cair o queixo!

A fantástica igreja barroca da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência
A fantástica igreja barroca da Ordem Terceira de São Francisco da Penitência

Saindo do Convento, seguimos rumo à Confeitaria Colombo ali pertinho da rua Gonçalves Dias. Fundada em 1894 por dois imigrantes portugueses, a Colombo era o reduto de intelectuais e da alta sociedade na Belle Époque carioca. Linda, linda, linda, com seus espelhos belgas com moldura de jacarandá, tudo muito bem preservado. Babei nos doces mas ainda era cedo e não comprei nada pra comer, vai ficar pra próxima visita a o Rio.

A linda Confeitaria Colombo, de 1894
A linda Confeitaria Colombo, de 1894
Pra quem quer tomar um café no clima da Belle Époque
Pra quem quer tomar um café no clima da Belle Époque

Fomos andando pela Rua da Quitanda, onde as mulheres negras que conseguiam sua liberdade pela lei dos sexagenários vinham vender comida na rua pra comprar a liberdade dos filhos. Fomos até o Palácio Tiradentes, onde funciona a infame Assembléia Legislativa do Rio, e onde Tiradentes ficou preso por 3 anos. Depois andamos em torno do Paço Imperial – Paço é uma denominação abaixo de Palácio, porque só podiam existir Palácios no Reino e aqui era a Colônia. A família real chegou de Portugal no Rio e se instalou no Paço em 1808, e depois se mudou para a Quinta da Boa Vista. Dois eventos importantes que aconteceram no Paço Imperial foram o Dia do Fico e a Assinatura da Lei Áurea. Vimos o Chafariz da Praça XV feito pelo Mestre Valentim (eu nunca tinha me dado conta que esses chafarizes não eram decorativos, e sim onde a população vinha buscar água), a estátua do General Osório vitorioso após a Guerra do Paraguai, a Igreja de Nossa Senhora do Carmo (Antiga Sé) que se tornou a Catedral quando a família imperial chegou ao Brasil (nós não entramos na igreja durante o tour, eu entrei na volta pra casa, porque era no meu caminho). A Catedral foi palco da coroação de D. João VI como rei de Portugal (em 1816) e do casamento do príncipe D. Pedro com D. Leopoldina da Áustria (em 1817), futuros imperador e imperatriz-consorte do Brasil.

O Paço Imperial do Rio de Janeiro, onde a família imperial morou quando chegou ao Rio
O Paço Imperial do Rio de Janeiro, onde a família imperial morou quando chegou ao Rio
O Palácio Tiradentes no Rio de Janeiro
O Palácio Tiradentes no Rio de Janeiro
A Antiga Sé, Catedral Imperial
A Antiga Sé, Catedral Imperial
O interior da Catedral, palco de uma coroação e um casamento real
O interior da Catedral, palco de uma coroação e um casamento real

Ali em frente tem o Arco do Teles, e foi por lá que a gente entrou, pela Travessa do Comércio passando em frente a Casa da Carmen Miranda, numa ruazinha cheia de restaurantes fofos. Continuamos andando, passamos pela Igreja da Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores, que é considerada “milagrosa” porque foi atingida por uma bala de canhão (destinada ao Paço Imperial, que pontaria!) e continuou de pé (a bala de canhão pode ser vista preservada dentro de uma parede da igreja). Ali do lado na Rua do Ouvidor tem o restaurante Antigamente, que a Bia me falou que tem uma feijoada divina (pena que eles não estavam servindo naquele dia, senão eu ia ser obrigada a comer ali depois).

O Arco do Teles, em frente a Praça XV
O Arco do Teles, em frente a Praça XV
Casa da Carmen Miranda, na Travessa do Comércio # 13
Casa da Carmen Miranda, na Travessa do Comércio # 13
Restaurantes na Travessa do Comércio
Restaurantes na Travessa do Comércio
A Igreja da Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores foi atingida por uma bala de canhão
A Igreja da Nossa Senhora da Lapa dos Mercadores foi atingida (acidentalmente) por uma bala de canhão (originalmente era pra acertar o Paço Imperial!)

Seguimos até chegarmos a Casa França-Brasil e ao Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB). Às segundas terças-feiras o CCBB está fechado, mas a ótima Livraria da Travessa e a lanchonete funcionam. Fizemos um lanchinho rápido por lá e seguimos para a Candelária.

Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB
Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB

A história da Candelária é muito interessante: um casal que viajava em um navio chamado Candelária quase naufragou em uma terrível tempestade; fizeram uma promessa para Nossa Senhora da Candelária que se sobrevivessem construiriam uma igreja em sua homenagem. O navio conseguiu chegar ao porto do Rio, e o casal cumpriu sua promessa: em 1609 construiu a primeira capela com esse nome, onde hoje está a igreja. Seguiram-se muitas obras, expansões, decorações, até 1901 quando a igreja recebeu suas portas de bronze.

Candelária do Rio de Janeiro
Candelária do Rio de Janeiro
Interior da Igreja da Candelária no Rio de Janeiro
Interior da Igreja da Candelária no Rio de Janeiro
Teto da Igreja da Candelária
Teto da Igreja da Candelária

Voltamos para a Avenida Rio Branco, passamos em frente ao Banco Central do Brasil e chegamos então a rua Dom Geraldo, que é onde fica o Mosteiro de São Bento. E aí mais uma vez eu babei com outra igreja barroca-rococó incrível (essa eu sabia que existia mas nunca tinha visitado nem visto fotos, foi uma outra surpresa). A igreja do Mosteiro é famosa pelas suas missas com canto gregoriano, e as domingos as 10h da manhã você pode assistir a missa toda em latim, além dos cantos. Eu não sou religiosa nem nada, mas quero ver só pelo ritual, que deve ser bem interessante.

Mosteiro de São Bento
Mosteiro de São Bento
A Igreja Nossa Senhora de Montserrat no Mosteiro de São Bento
A Igreja Nossa Senhora de Montserrat no Mosteiro de São Bento

E ali terminou o tour, a gente desceu o morrinho de volta pra Avenida Rio Branco, eu me despedi da Bia e já avisei que vou mandar toda a minha família fazer o tour com ela (a minha mãe já pegou o telefone pra marcar pra ela e pras amigas em breve). Muito bom mesmo, recomendadíssimo!

O nosso roteiro (mais ou menos) no Google Maps:


View Larger Map

Obrigada a Rio Walks que ofereceu este tour como cortesia.

Informações úteis:
Bia Tognarelli Guia de Turismo
Telefone: 21 9515-2354
Dias e horários: é só ligar e combinar com a Bia
Preço: R$ 60 por pessoa
Dicas: Use sapatos ultra confortáveis pra andar muito, claro! O Theatro Municipal tem visitas guiadas, veja os detalhes no site oficial.


Vai Viajar?

Assine a Revista Aprendiz de Viajante! Assine a revista por R$ 120,00 + chip com 30 dias de internet ilimitada gratuita para usar em mais de 140 países!!!! Você sabia que o chip mais barato, de 5 dias, custa mais caro que a assinatura??? Então aproveite!!!! Assine agora.

Não esqueça de fazer o seu Seguro de Viagem, pois ele é obrigatório nas viagens para a Europa. Mesmo nos Estados Unidos, é altamente recomendado, pois como não existe saúde pública no país, qualquer problema mínimo de saúde pode resultar numa conta altíssima de hospital ou pronto socorro. Nós não viajamos sem seguro nunca. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto de 5% no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: APRENDIZ5.

Reserve o seu hotel no nosso parceiro Booking

Precisa alugar um carro? Reserve o carro na RentCars. A cobrança será feita sempre em reais, sem IOF e você ainda vai poder dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou ter um de 5% no boleto bancário.

Saia do Brasil com seu chip internacional já funcionando no celular.


33 COMENTÁRIOS

  1. Parabéns, adorei! Será que tem algo que possamos fazer pra Rio Walks não acabar? Há umas 3 semanas eu fiz um tour pela Gamboa que sai do Museu de Arte do Rio, no cais do porto, de graça, com uma guia moradora da região e estudante de História na UFRJ. Sensacional, fiquei conhecendo onde o Rio começou e pisei um ruas que nem sonhava existir, além de pérolas como os Jardins Suspensos do Valongo, a Pedra do Sal, berço do samba, e cais da Imperatriz, encontrado por acaso nas obras do Porto Maravilha que ficou preservado como sítio arqueológico. São coisas assim que ainda dão esperanças, o Rio tem jeito, não tem só beleza, não!

    • Lilian, obrigada! Quando eu fiz o meu passeio em julho já existia a possibilidade da empresa fechar ou trocar de mãos, quando fui escrever o post e vi que no site estava anunciado que eles iam fechar, entrei em contato com a Bia pra perguntar se ela ia continuar oferecendo os passeios diretamente e ela disse que sim. Então quem estiver interessado pode marcar com ela, felizmente. Sugiro que você entre em contato com o seu guia pra perguntar se ele(a) vai continuar oferecendo o tour diretamente.

  2. Que bom saber disso.
    Recentemente fiz um passeio semelhante por Ouro Preto e voltei me perguntando porque o Rio não oferecia isso também, uma vez que foi tão/é importante para a história do Brasil.
    Certamente farei este passeio em breve.
    Obrigada

    • Giovana, com certeza, esses lugares são pouco divulgados, até porque o Rio tem tantas outras atrações mais famosas que essas acabam ficando em segundo plano…mas vale muito a pena! Bom passeio 🙂

  3. Lu, eu adoro ser “turista” na minha cidade e sempre que posso sozinha ou com visitas faço esses cantinhos que vc conheceu 🙂
    Acho o Centro do RJ muito charmoso e com muitos cantinhos legais para conhecer. Para nossa alegria o Odeon não ficará mais sozinho ali na Cinelândia, os Cine Palácio I e II voltaram em breve a ativa, estão sendo reformados 🙂

    Vou guardar bem esse número da Bia e marcar com ela um tour desses 🙂

    Bjokas e amei!

  4. Adorei o post, mas me tire uma dúvida, que igreja é essa ¨ Ordem terceira da penitência de São Francisco ¨? Não é a mesma de São Francisco localizada no Largo de São Francisco, né?

  5. Cara! Que poste incrível! Verei com outros olhos, todas as perspectivas, na próxima vez que visitar o centro histórico carioca…

  6. Oi, Luciana!
    O post está muito muito bacana! É quase de utilidade pública para os cariocas.. todos nós deveriamos saber…

    Só queria fazer uma correção.. O CCBB agora fecha às terças, eles devem ter trocado… Só pra deixar o seu post mais perfeito 😉 hehehe

    beijos

  7. Amei a dica, já fui ao Rio duas vezes e nas duas não consegui fazer esta parte histórica. Já estou programando voltar para este tour, será que a Bia ainda oferece???

  8. Sensacional, eu piro com história e com o Rio, já fiz uma viagem com a escola há tempos e creio ter ido em alguns lugares, quero fazer outro…. ela te falou sobre um túnel q Dom Pedro usava p ver a Condessa de Santos??

  9. Luciana você não imagina o quão feliz fiquei com seu post! Meu sonho é conhecer o Rio e irei realizá lo no mês que vem. Suas dicas vieram no momento certo. Simplesmente adorei e adotei como meu roteiro. Abs.
    Silvana.

  10. Já fiz um passeio mais ou menos assim, também acompanhada de um walking tour…não lembro o nome da empresa mas custou 15 reais e ainda visitei a pedra do sal. Atenção pra quem vai fazer o passeio pq o centro so rio está MUITO perigoso! Arrastões todos os dias! Nos fins de semana tem bem menos gente na rua então eh provável q vc seja alvo! Ultima vez q fui fazer um passeio lá tínhamos q andar em ziguezague para fugir dos grupos de cheiradores de cola! Ah e a biblioteca nacional está em obras, toda coberta!

  11. Bom dia, Luciana:
    Sempre que vou ao Rio, visito aquele maravilhoso Centro Histórico. Vou, agora dia 04/06, com minha família, aproveitando o feriado. Quero mostrar aos meus filhos toda essa nossa história, pouco conhecida e, por isso, não bem compreendida.
    Gostei do seu relato e gostaria de fazer um contato com Bia. O tel. é o mesmo que você postou acima?
    mesmo?
    Obrigada.
    Amo viajar. Amo, também história, arte, cultura em geral.
    Att.
    Janne

  12. Alguém conhece algum canal em que eu possa pesquisar sobre a vida e obra da compositora e pianista Branca Bilhar? Ela morou no Rio de Janeiro por muitos anos, mas sua origem é o Ceará onde moro. É para o artigo da faculdade.

  13. Senti falta do Real Gabibete Português de Leitura. Vale à pena incluir no roteiro. Lindo, lindo e abriga raridades.
    Sou fã do centro do Rio e agora com o Boulevard olímpico, tem ainda mais opções de passeios pois ficou tdo interligado: passeio à ilha Fiscal, museu MAR e museu do Amanhã, restaurante Ancoramar antigo Albamar numa construção de 1906…

  14. Boa tarde,

    adorei todas as dicas, irei colocá-las em prática amanhã, depois conto como foi, acabei de te seguir no instagram e a ideia de outros tours será muita bem vinda, muito obrigada pela excelente inicativa, abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente!
Por favor entre seu nome aqui