7 dicas para tornar sua viagem melhor

5

Viajar bem para viajar sempre é uma das nossas taglines aqui e sempre que eu tenho a oportunidade, gosto de escrever esses posts que nos fazem refletir um pouquinho e que podem tornar nossas viagens melhores. Tem coisas que a gente faz sem mesmo perceber e nessa era de bombardeio de informação, as viagens muitas vezes acabam ficam mais complicadas.

Como eu digo sempre, obrigada nessa vida, só a respirar! Mas se a gente puder tornar uma viagem melhor, porque não? Agora que estabelecemos isso, leia o restante como sugestões de alguém que tem viajado bastante e aprendeu não só durante as viagens, mas também com os comentários de outros viajantes que passaram por aqui. Não encare como algo que “tem que ser feito” ou seguido ao pé da letra, afinal só você sabe se “foi vai ser bom pra você”.

1. Não existe jeito certo de viajar

Vamos começar por um ponto fundamental? Não existe “jeito certo” de viajar. Infelizmente vários blogs e sites por aí acabam escrevendo/dizendo que se você “não fizer isso”, ou se “não for desse jeito”, você está fazendo errado e que se você não se hospedar em determinado local, ou área, ou se não ficar tantos dias, você não “visitou o país” de verdade. Tudo balela! Partindo dessa premissa que não existe jeito certo de viajar, procure encontrar seu jeito, o que você curte, o que te interessa e o que você pode fazer. É claro que é sempre legal procurar por dicas, este post por exemplo tem dicas gerais e nosso blog é cheio de dicas de destinos, mas encontre pessoas, blogs e sites que tenham o seu estilo. E aí mais uma dica.. eu sempre digo que achar o seu estilo de viagem é uma evolução constante. Coisas que eu adorava fazer 10 anos atrás não me interessam hoje em dia e coisas que eu nem curtia, hoje eu adoro. Você tem direito de errar, direito de mudar de idéia, direito de fazer as coisas do jeito que você bem quiser, afinal a grana pra viajar é sua não é mesmo?

2. Não tente achar numa cidade o que ela não tem

Ou em termos mais diretos: não compare duas cidades. Assim com as pessoas, as cidades são únicas, mas as pessoas insistem em ficar comparando cidades. Paris x Londres, Nova York x Londres, Nova York X Orlando, Roma x Paris. Gente, cada uma delas tem características únicas e tentar comparar uma com a outra só vai te trazer decepção. É um tal de estar em Nova York e falar “Ah.. mas em Londres isso …” ou estar em Orlando e falar… “Ah.. em Nova York isso.. ” e complete a frase como quiser. Você tem direito a gostar de uma cidade mais que a outra, normal, mas fazer isso usando comparação, não vai funcionar e só vai te frustrar.

Eu canso de ouvir as pessoas reclamando de Las Vegas. “Ah.. a cidade é fake”… Encarem desse jeito: Las Vegas é um parque temático pra adultos! Ver o hotel Paris não quer dizer em nenhum momento que você visitou Paris, no máximo pode atiçar a sua vontade de conhecer a original(se você ainda não conhece), ou matar as saudades (se você já conhece). Você não entra num parque da Disney por exemplo achando que tudo ali é de verdade, certo? Tudo ali é fantasia… mesma coisa em Las Vegas. Mas sabe o que ela tem de muito legal? Restaurantes maravilhosos, hotéis incríveis 5 estrelas por precinhos que você não vai encontrar em nenhum outro lugar do mundo, opções de entretenimento e shows reunidos num só lugar e ainda por cima fica pertinho de lugares fantásticos como o Grand Canyon, Sedona no Arizona e da California.

Viaje com internet no seu celular

Vai viajar para o exterior? Já chegue no seu destino com o celular funcionando. A EasySim4u oferece plano de dados ilimitados em 140 países, para que você fique conectado a internet. Utilize o cupom para ganhar frete grátis: APRENDIZDEVIAJANTE! Veja meu post: Chip EASYSIM4U: Como usar a Internet na Europa.

Aprenda a curtir o que a cidade tem de melhor, procure o que ela tem de diferente e legal e não tente achar uma cidade na outra. Em muitas até você vai encontrar características similares, mas na maior parte das vezes, comparações não vão acrescentar nada à sua viagem.

3. Você recebe pelo que você paga

Se você comprou uma passagem aérea numa empresa low cost não pode esperar o mesmo nível de serviço que numa empresa aérea normal, correto? Se você comprou uma passagem na econômica, não adianta reclamar da poltrona apertada, da falta de comida certo? Você escolheu um hotel 3 estrelas e quer serviço de 5 estrelas? Não vai acontecer!

Parecem coisas óbvias, mas eu me divirto vendo as reclamações das pessoas exatamente por causa desses fatores que mencionei acima. Você vai receber pelo que você pagar… se você pagou e não recebeu, aí sim, você tem todo o direito de reclamar, mas na maior parte das vezes as pessoas reclamam por coisas que não sabiam (e deveriam saber!).

Está pra fechar com uma cia aérea? Veja as restrições de bagagem, horário de voos, o quão longe é o aeroporto(e como se locomover até ele), se tem alimentação incluída ou não durante o voo.

Pensando em pegar aquela promoção de hotel? Leia as reviews do hotel, veja a localização em relação aos pontos principais que você quer visitar e pense no que você se importa mais na hora de fechar um hotel.

Na área de turismo as coisas tem preços variados por uma razão simples – há diversos estilos de viajante e pra cada um, há coisas que são importantes e outras que não são. Descobrir o que é importante pra você e gastar mais nestes quesitos é com certeza um dos fatores que podem transformar a sua viagem. Você curte comer bem enquanto viaja? Separe um dia pra ir num restaurante mais bacana. Dormir bem é importante? Dê atenção extra pra hospedagem. Você vai carregar um monte de bagagem? Evite as super low cost, que podem acabar te cobrando mais por isso.

4. Evite fazer maraturismo

Aqui eu vou voltar ao ponto inicial, de que a viagem é sua e você faz o que bem quiser, não existe jeito certo de viajar e yada yada yada. Mas existe uma coisa chamada bom senso que grande parte dos viajantes perde assim que começa a planejar uma viagem. Uma delas é transformar a viagem em uma maratona e tentar fazer vários países num curto período de tempo. Já viu aqueles pacotes de viagem que oferecem 7 países em 10 dias? Se puder evitar, fuja deles! Primeiro porque pense bem, mesmo na Europa onde tudo é mais perto, sua viagem se tornará uma canseira só, tendo que fazer tantos deslocamentos. Lembre-se do fuso horário, seu corpo pode demorar um pouco a se acostumar com a diferença e não dá pra aproveitar mesmo nada se você vai passar apenas algumas horinhas num determinado país. Lá pra metade da viagem você vai querer dar uma descansada e não vai conseguir, porque planejou tanta coisa que é hora de partir de novo e se não aproveitar o que der nesse dia, não vai ter outra chance.

Eu sei, a tentação é grande de querer “ticar” vários países da lista, eu não recomendo, mas aí é com você. Se ainda assim você quiser fazer, vá… porque tem coisas que a gente só aprende mesmo indo, fazendo a burrada heheh, mas não diga que não avisei.

5. Não acredite cegamente em tudo o que você lê

Quando vou viajar eu devoro blogs, sites, revistas e jornais. Acontece que nem todo mundo que eu leio tem o meu estilo de viajar e coisas que pra eles são ótimas, pra mim não são e vice versa. Eu já contei várias vezes a história de quando quase tirei a Bélgica dos meus planos porque um viajante que eu adorava falou super mal do país e disse que não valia a pena. Pois eu fui pra Bélgica e adorei o país, amei Bruxelas e queria muito era ter ficado mais tempo por lá. Já outros lugares aconteceu exatamente o contrário: a pessoa falava mil maravilhas do lugar e eu fui com a maior expectativa e me decepcionei.

Com isso eu fui aprendendo algumas coisinhas: a primeira é sempre procurar mais de uma opinião a respeito de um lugar, principalmente se a opinião que eu li é muito negativa ou muito positiva.  A segunda é identificar os viajantes que tem o mesmo estilo que o meu. Não adianta pra mim por exemplo, pesquisar em sites de mochileiros principalmente na questão de hospedagem, porque o estilo deles não tem nada a ver com o meu, mas às vezes encontro boas informações gerais do destino.

E outra, pessoas tem seus dias bons e ruins e as vezes ela estava numa cidade e não curtiu puramente por motivos pessoais. Então é sempre bom questionar e levar isso também em consideração. Eu parto da premissa hoje em dia que qualquer cidade no mundo vai ter algo interessante se eu estiver aberta pra isso, de bom humor e descansada.

6. Gerencie suas expectativas

Um das maiores razões para a decepção, principalmente em relação a um destino, é causada pela expectativa que se cria em torno dele. Eu tinha muito medo de visitar Nova York e Paris, de tanto que as pessoas falavam “você vai amar!!!”. Por “sorte”, eu baixei a bola na hora das expectativas e as duas cidades me surpreenderam e muito. Continuo voltando inúmeras vezes e conseguindo aproveitar o que elas tem de melhor.

Outro problema que tive com expectativas: o por do sol em Santorini. A primeira vez eu assisti do meu hotel em Imerovigli em Santorini, da piscina, com o copo de champagne e no início da temporada. Foi maravilhoso, exatamente como eu sonhei. Mas as pessoas me falavam “Nossa, mas você não assistiu em Oia, não é a mesma coisa…”. Pois na minha próxima visita eu fiz questão de ir pra Oia. Mas o que ninguém nunca tinha me dito era que pra ver o por do sol, lá em Oia, onde todo mundo vai assistir, você enfrenta no verão (eu fui na semana de alta temporada em Agosto!) milhares de turistas se acotovelando por um “lugar ao sol”. Quase estragou com a minha visão romanceada de Santorini ter que lidar com aquele monte de gente quase se pisoteando e se empurrando pelos corredores apertados. Multidões me incomodam e se te incomodam também as minhas dicas são: não vá em Agosto e se for, se hospede em Imerovigli, que fica de frente pra caldeira e o por do sol é tão ou mais lindo quanto em Oia. E se por do sol na Grécia é mesmo algo que te atraia, considere ir pra Ios que pra mim acabou sendo o por do sol mais lindo até mesmo que em Santorini.

7. Planejamento é sempre o melhor aliado

Eu já disse aqui várias vezes e repito que adoro o “serendipity”, o fator destino/surpresa numa viagem. Mas é fato que, em um destino que você nunca esteve antes, ou que não domine a língua, planejar e bem é fundamental para deixar a menor margem possível para surpresas desagradáveis. Tem gente que fala que vai e deixa pra decidir o que fazer por lá, a maior parte dessas pessoas acaba vendo o que todo mundo vê, os pontos principais, mas deixa talvez, algo diferente passar porque não planejou com antecedência.  Então leia bastante sobre o destino, veja os aspectos principais no planejamento, baseado nos seus interesses escolha as atrações que você quer ver, afinal a gente começa a viajar antes mesmo de botar o pé na estrada não é mesmo?

Espero que essas dicas possam ajudá-los a ter uma viagem ainda melhor. 


Vai Viajar?

Assine a Revista Aprendiz de Viajante! Assine a revista por R$ 120,00 + chip com 30 dias de internet ilimitada gratuita para usar em mais de 140 países!!!! Você sabia que o chip mais barato, de 5 dias, custa mais caro que a assinatura??? Então aproveite!!!! Assine agora.

Não esqueça de fazer o seu Seguro de Viagem, pois ele é obrigatório nas viagens para a Europa. Mesmo nos Estados Unidos, é altamente recomendado, pois como não existe saúde pública no país, qualquer problema mínimo de saúde pode resultar numa conta altíssima de hospital ou pronto socorro. Nós não viajamos sem seguro nunca. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto de 5% no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: APRENDIZ5.

Reserve o seu hotel no nosso parceiro Booking

Precisa alugar um carro? Reserve o carro na RentCars. A cobrança será feita sempre em reais, sem IOF e você ainda vai poder dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou ter um de 5% no boleto bancário.

Saia do Brasil com seu chip internacional já funcionando no celular.


COMPARTILHAR
Artigo anteriorEpcot International Food & Wine Festival 2015
Próximo artigoFrança: um dia em Étretat

Claudia Beatriz trocou as praias do Rio de Janeiro pela vizinhança da Casa Branca em Washington DC em 2004 e se mudou em 2014 para Orlando, onde vive atualmente. Apaixonada por Viagens e Fotografia, criou esse blog e a revista Aprendiz de Viajante. Quando não está escrevendo sobre viagens ou fotografando, a “nerd confessa” dá consultoria, treinamento e escreve sobre tecnologia, gerenciamento de conteúdo e mídias sociais.

5 COMENTÁRIOS

  1. Oi, muito boa suas colocações tem gente que n tem espirito de turista, viagem é uma caixinha de surpresa tudo pode acontecer quem não gosta de aventura e sair do lugar não deveria sair de casa. Bjs.

  2. Melhor post que eu li dos blogs de viagem. Absolutamente certa. Eu e minha mulher somos viajantes “independentes” hà 10 anos, desde que a internet começou a oferecer essa possibilidade. Temos o mesmo conceito sobre estilo e formas de viajar. Odeio quando alguém faz um comentário deste tipo: “não fez isso? ah então você não conheceu tal cidade” Além de tudo acho pedante. Concluindo: cada um na sua e ao seu jeito, o importante é viajar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente!
Por favor entre seu nome aqui