Londres – A Chegada

17

Depois de algumas semanas de planejamento e muita ansiedade, desembarquei hoje de manhã em Londres. A cidade me recebeu do jeitinho que eu lembrava dela, cinza… e somente Londres pra me receber com o tempo nublado e ainda me fazer sorrir. Ela tem um encanto que não precisa nem de dias ensolarados pra conquistar a gente. Até acho que ela faz de propósito, como que dizendo, te dou todo o resto, mas sol… não. E Londres não é só Big Ben e London Tower. Londres tem muito pra oferecer e é o que eu quero tentar ver durante esta viagem. Bom, mas deixa eu começar, contando pra vocês detalhes da minha chegada com algumas informações práticas.

banner_guia_londres__728x90

O aeroporto

Londres tem vários aeroportos: Gatwick (LGW), Stanted, London City Airpot (LCY), Luton (LTN) e o que eu cheguei – Heathrow (LHR), que está muito diferente do que quando eu vim em 2005.  A última vez que eu vim, em 2009, chegamos de trem vindos de Paris, mas dessa vez, o vôo veio de DC ao Heathrow, que é onde chegam grande parte dos vôos internacionais.

O aeroporto Heathrow
O aeroporto Heathrow

E não sei se isso é geral, mas nosso avião estacionou super longe. Só me lembro andar em corredores sem fim e quando achava que estava chegando, não, ainda tinha que andar mais. Então para quem vier com crianças principalmente, tente trazer o mínimo de bagagem de mão. Não importa qual seja o seu aeroporto de chegada, o restante de procedimentos é igual em todos os aeroportos. No avião eles deram um formulário para preencher, chamado de “Landing Card” que pede seus dados principais: Nome e Sobrenome, Data de Nascimento e Sexo. Número do passaporte e onde ele foi feito. Número do Vôo, cidade de embarque, de onde você veio. Nacionalidade, Ocupação e assinatura. Perguntinhas de rotina.

Viaje com internet no seu celular

Vai viajar para o exterior? Já chegue no seu destino com o celular funcionando. A EasySim4u oferece plano de dados ilimitados em 140 países, para que você fique conectado a internet. Utilize o cupom exclusivo para leitores do blog APRENDIZDEVIAJANTE e receba frete gratuito! Veja meu post: Chip EASYSIM4U: Como usar a Internet na Europa.

O aeroporto é bem sinalizado e tem várias áreas para comer, que devo explorar mais na volta que na ida. Mas logo vi um Café Costa, que a Bel tinha me recomendado e pedido pra tomar um cappuccino pensando nela.

Costa Café
Costa Café

A imigração

Brasileiros não precisam de visto para a Inglaterra se vierem a passeio e para ficar menos de 6 meses. Mas chegando no aeroporto, é preciso passar pela imigração. Já vi relatos de vários brasileiros que tiveram problemas para entrar e precisaram apresentar documentos, provar que tinham dinheiro e tal, mas a minha entrevista aconteceu sem maiores contratempos. Me perguntaram qual o motivo da viagem, quanto tempo eu ia ficar, qual a minha profissão, onde eu morava, quanto tempo eu morava nos EUA e só. Carimbou meu passaporte e desejou boa estadia.  De qualquer maneira, esteja preparado com documentos que provem seu vínculo com o Brasil, dinheiro suficiente pra cobrir a sua estadia e muito importante, seu seguro de saúde. Pode ser que não peçam nada disso, mas é melhor ter.

Transportes do aeroporto Heathrow (LHR) para Londres

Depois de passar pela imigração, hora de pegar a mala e decidir como sair do aeroporto. A essa altura é bom já ter feito planos porque há várias opções de transporte: ônibus, táxi, trem.. Eu optei pelo Heathrow Express que é um trem que como o próprio nome diz, é expresso e chega rapidinho no centro de Londres, na estação Paddington. O ideal é comprar o ticket pela internet antes de chegar em Londres, que custa $16.50 e  sai mais barato que comprar no aeroporto, que custa $18.00. Se você deixar para comprar dentro do trem, sai mais caro ainda… $23.00. Se já souber que voltar em menos de um mês naquele mesmo aeroporto compre já o bilhete de retorno e economize ainda mais, custa $32.00 tanto na internet quanto lá no aeroporto. Já na saída da imigração para pegar as malas, tinham duas pessoas vendendo os tickets.

Como eu estava no Terminal 1, foi só seguir em frente, pegar um elevador para descer e procurar a plataforma de embarque. O Heathrow Express tem lugar para bagagem, que ajuda muito em caso de se ter várias malas e supostamente teria WiFi, que tinha me deixado super animada de já poder ligar pra casa e dar notícias, só que não funcionou. Dentro do trem, vem um fiscal, que no nosso caso era moça ucraniana(o casal do lado perguntou de onde ela era) para checar seu ticket ou te vender um no caso de você precisar. Ela tem maquininha de cartão de crédito, que facilita se você esqueceu de comprar e não tem dinheiro.

Heathrow Express em Paddington
Heathrow Express em Paddington

A viagem foi muito rápida. Mal deu tempo de abrir o computador, ver que o WiFi não funcionava e já estava na hora de descer.  Chegando na estação Paddington foi fácil encontrar a sinalização do Underground. É tudo conectado.

Se locomovendo dentro de Londres

Você pode comprar tickets de papel, mas se vai ficar mais de 3 dias, recomendo a compra o Oyster Card que é o cartão eletrônico para ter acesso ao sistema de transporte e coloca nesse cartão ou dinheiro para ir debitando a cada viagem (pay as you go) ou compra passes de 1 ou 7 dias que te permitem viagens ilimitadas.  O Travel Card de 7 dias vale muito a pena se você vai ficar mais de 3 dias, porque o passe ilimitado de 1 dia custa $8.00. Só hoje, eu usei para 5 viagens diferentes. Se tivesse comprado separado, cada uma teria custado $4.00 e só ai já teria gasto $20.00. O Travel Card de 7 dias custa $27.00 e o Oyster Card custa $5.00, mas no fim da viagem, você devolve o cartão e eles te devolvem os $5.oo.

O sistema de transporte é imenso e parece super complicado, mas existem várias maneiras de se localizar. Todas as estações tem mapas, quando você compra o cartão eles te dão um mapinha e eu acabei baixando uma app que funciona parcialmente mesmo offline, para traçar rotas. Você diz a estação de origem e destino e a app te dá as opções de melhor caminho. E os funcionários das estações são bem atenciosos, apesar de em duas ocasiões eu não ter conseguido entender o sotaque da pessoa e ouvi vira a esquerda e blábláblá.

Outra coisa que é preciso prestar atenção é que várias estações estão fechadas para manutenção. Na vinda do aeroporto, eu tive que andar um bom pedaço, porque o DLR que é o Docklands Rail Line estava em manutenção, e apesar de terem ônibus substituindo, não tinha parada perto do meu hotel. Mas foi tranquilo porque so tinha uma mala e uma mochila. E no fim do perdi a hora para os fogos que eu queria ver, porque cheguei na estação e não tinha a conexão que eu precisava.

Ainda quero essa semana andar de ônibus e barco, que também podem ser feitas usando o Oyster e o Travel Card.

O hotel

O hotel que vou ficar esses primeiros dias é bem pertinho do Centro de Convenções onde vai acontecer o World Travel Market. Eu não escolheria um hotel aqui, porque fica um pouco longe do centro de Londres,  mas que foi o que eu ganhei no sorteio e no fim das contas vai ser ótimo, porque durante os dias de convenção não vou ter que acordar cedo para enfrentar transporte público. Estou praticamente dentro do Centro de Convenções. Uma maravilha! E eles me deram um quarto executivo, com Internet e Filmes incluídos, além do que parece ser um quarto maior e melhor. Mais detalhes sobre o hotel em breve.

Passeios

O primeiro dia eu fiz o que mais gosto: Andar meio sem rumo, deixando acontecer e onde o dia vai me levar. E acabei pelo caminho usando várias dicas que o pessoal deixou pra mim no blog e no twitter. Teve visitas a lugares novos e fui rever alguns pontos imperdíveis na cidade…  Os detalhes do primeiro dia vem no próximo post!

Souvenir de Londres
Souvenir de Londres

WiFi

Londres deixa muito a desejar em termos de WiFi. Até no Brasil eu conseguia mais WiFi gratuito do que estou conseguindo aqui. Por enquanto, a única opção que realmente funcionou foi a loja da Apple. Se precisarem, tem uma na 235 Regent Street (estação Oxford Circus) e outra no Covent Garden 1 The Piazza. O aeroporto diz que tem, mas não funciona. O Heathrow Express diz que tem, mas também não funciona. Mesma coisa no Mc Donald’s e outros cafés. O Starbucks você precisa ter o cartão de fidelidade e ter pontos nele. Muito complicado para quem visita. Enfim… vou tentar descobrir outros locais e posto aqui.

Bom, por hoje é só… mas aguardem posts dos passeios, cheinhos de fotos vindos por aí!


Vai Viajar?

Assine a Revista Aprendiz de Viajante! Assine a revista por R$ 120,00 + chip com 30 dias de internet ilimitada gratuita para usar em mais de 140 países!!!! Você sabia que o chip mais barato, de 5 dias, custa mais caro que a assinatura??? Então aproveite!!!! Assine agora.

Não esqueça de fazer o seu Seguro de Viagem, pois ele é obrigatório nas viagens para a Europa. Mesmo nos Estados Unidos, é altamente recomendado, pois como não existe saúde pública no país, qualquer problema mínimo de saúde pode resultar numa conta altíssima de hospital ou pronto socorro. Nós não viajamos sem seguro nunca. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto de 5% no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: APRENDIZ5.

Reserve o seu hotel no nosso parceiro Booking

Precisa alugar um carro? Reserve o carro na RentCars. A cobrança será feita sempre em reais, sem IOF e você ainda vai poder dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou ter um de 5% no boleto bancário.

Saia do Brasil com seu chip internacional já funcionando no celular.


17 COMENTÁRIOS

  1. Cláudia,

    Eu ainda não conheço Londres, mas espero utilizar todas as suas dicas em breve…

    Execelente texto! 🙂

    Thais

  2. Eu quase fui barrada na imigração. A agente não acreditou que existia um estágio de 2 semanas numa Universidade… Tive que mostrar cartões de crédito, dinheiro, reservas (ia mochilar depois), seguro e passagem de volta, tive que repetir umas 5 vezes o nome da faculdade (ela me testava pra ver se eu falaria um nome diferente)…

  3. Agradecida se vc postar aqui depois qual é esse aplicativo que funciona offline pra traçar rotas. Eu já acho horrível achar wi-fi gratís aqui e vc me diz que aí é pior? Que decepção! :S

  4. Que legal Claudia! Super informativo seu post! To repassando pra um monte de gente que quer vir me visitar! Estou morando em Londres desde abril e a pior coisa da chegada foi realmente essa demora pra sair do aviao ate a imigracao e as bagagens.. Eu estava com meu filho de 2 anos operado de uma hernia no umbigo e vindo de mudanca, entao eu tava CHEIA de coisas pra carregar na mao… Antes de embarcar eles perguntaram se eu precisaria de alguma ajuda especial, como o carrinho de bebe. Eu disse que sim, normal, como ja havia sido no aeroporto do Rio (eu tinha vindo de CWB). O staff da TAM ate pediu-me desculpas algumas vezes mas explicaram que aqui nao tem carrinho de bebe nem nada pra ajudar! Se nao fosse a mae de uma comissaria que por coincidencia estava passeando naquele voo, eu nao conseguiria sair do lugar! Ja que o staff nao pode tambem carregar nenhuma mala sua e tal. Foi um sufoco! Mais uma vez parabens pelo post! Beijao

  5. Nossa, seu post foi muito esclarecedor!! Estou planejando uma viagem a Inglaterra, na verdade vou para Manchester, ficar algumas semanas, só que quero ir a Londres. Provavelmente, vou a Londres sozinha. Então preciso saber o máximo possível, para economizar e não ficar perdida por aí. tem alguma dica de lugares legais e mais em conta para hospedagem? Como só vou daqui a uns 2 anos ( é longe) mas já estou procurando me situar. =) kkkkkk

    Obrigada pelas dicas!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente!
Por favor entre seu nome aqui