Planejando uma viagem para o Japão

89

Este é o primeiro post da série que vou escrever sobre o Japão. Nós visitamos esse país fantástico duas vezes: a primeira vez em 2006, na primavera, época das cerejeiras em flor, só eu e o marido, visitando várias cidades de trem; e a segunda vez agora em julho de 2012, em pleno verão, com duas crianças pequenas, ficando somente em Tóquio. Foram duas viagens completamente diferentes, mas voltei de ambas apaixonada por esse país. Então se você tem vontade de conhecer a terra do Sol Nascente, vamos começar pelo princípio: nesse primeiro post, o que você precisa saber se está planejando uma viagem para o Japão; principalmente se vai ao Japão com crianças!

Planejamento

Fiz a maior parte do meu planejamento usando os sites Viaje na Viagem com dicas da viagem que o Ricardo Freire ao Japão (na época ele me deu um roteirinho que usei de base perfeito, tem que procurar no meio dessa página), o site Japan Guide que é a fonte principal de informações sobre o Japão na internet, o Guia Visual da DK: Japan, e o Japanese Guesthouses, que é um site de reservas de ryokan, um tipo de pousada japonesa.

Vistos e documentos

Brasileiros precisam de visto para ir ao Japão. Não é difícil conseguir o visto, só é chato como todo processo burocrático. Tem que juntar um monte de documentos pra levar no consulado, com o formulário, mas a chatice para por aí (se você já fez visto pros EUA, o visto pro Japão vai ser moleza). Na minha viagem de 2006 eu precisei fazer o visto, morava em Seattle e fui no consulado do Japão de lá, levou uma semana pra ficar pronto. Na segunda vez em julho passado não precisei fazer porque entrei com passaporte americano. A chegada no aeroporto de Narita foi super tranquila ambas as vezes, nenhum estresse com imigração. Se você vai viajar com crianças, não esqueça que elas também precisam de visto. É importante lembrar que pela lei japonesa qualquer policial pode pedir o seu passaporte e visto na rua por qualquer motivo, e se você não tiver, eles podem te prender. Então ande sempre com os seus documentos – e não se preocupe, porque o índice de criminalidade no Japão é um dos mais baixos do mundo. Pra tirar o visto seu passaporte precisa ser válido por no mínimo mais 3 meses, e depois que você recebe o visto, tem 3 meses pra entrar no Japão. No momento que escrevo este post, a taxa para o visto custa R$61 para o visto de turista simples (de uma entrada) e deve ser pago em dinheiro no balcão do consulado.

Chegando no aeroporto de Narita

Comunicação

Acho que essa é a pergunta número um que todo mundo me faz quando falo que fui ao Japão. A minha resposta: a gente se vira razoavelmente bem. Os japoneses em sua maioria não falam bem inglês ou qualquer outra língua. Não espere bater papo com ninguém se você não fala japonês. Mas o Japão tem inúmeras vantagens pro turista estrangeiro: placas em alfabeto ocidental na maioria das cidades grandes, principalmente nos transportes públicos; cardápios em restaurantes com fotos em 99% dos lugares, seja cidade grande ou pequena; anúncios em inglês no metrô e nos trens na grande maioria dos trens e estações e folhetos turísticos em inglês na maior parte das atrações turísticas principais. Com mímica muita coisa se resolve, até porque os japoneses são muito educados e tentam ao máximo resolver qualquer problema. Se você tem um mínimo de flexibilidade e espírito aventureiro (leia-se consegue pedir uma comida sabendo apenas que é frango com arroz ou bife, sem saber os mínimos detalhes do prato por exemplo), não vai ter problemas. Nós ficamos 17 dias da primeira vez e 15 dias da segunda vez, e pegamos um trem errado apenas, na primeira viagem. Então não é um bicho de sete cabeças. Se você já ouviu alguém contar que um japonês saiu do seu caminho pra levar o turista perdido no lugar certo, isso é verdade e aconteceu com a gente. Estávamos procurando um restaurante em Quioto e depois de muitas voltas eu perguntei pra um funcionário de uma lanchonete se ele sabia onde era (mostrando o nome escrito em japonês numa revista). Ele terminou de fechar a loja e foi com a gente procurar o lugar, só sossegou quando deixou a gente na porta do restaurante.

Mas hein? Uma prateleira de farmácia em Tóquio

Etiqueta

Os japoneses são muito educados e tem um monte de regras de boa convivência que a gente poderia adotar tanto nos EUA quanto no Brasil. Por exemplo: eles não falam no celular em um ambiente fechado com outras pessoas, no metrô tem até cartazes pedindo pra você colocar o celular no silencioso ou desligar, e se tiver que usar, mandar apenas mensagens de texto. Eles não são como os americanos que saem andando pela rua comendo e bebendo, muito pelo contrário, você vê no máximo alguém sentado num banco de praça comendo ou bebendo, e olhe lá. As mães que amamentam tem que ser super discretas, as japonesas apesar de amamentarem, fazem isso sempre em lugares fechados, ou então usam capas ou mantas pra se cobrirem. Mas se você já ouviu que criança no Japão não dá chilique, pode esquecer, porque eu vi muita criança pequena gritando e dando chilique sim senhor. De um modo geral os japoneses são um povo reservado, mas nessa viagem nós tínhamos uma arma secreta: um bebê! É impressionante como eles gostam de bebês, todo mundo se derretia com o Eric, que estava com 9 meses na época. Não tinha uma vez que a gente sentava no metrô que alguém não começasse a brincar com ele, até origami feito na hora ele ganhou de presente. Atenção: não se dá gorjetas no Japão. Nem em restaurantes tem 10% ou nada parecido. Alguns restaurantes que servem turistas estão cobrando uma porcentagem para gorjeta, mas isso é raríssimo (só vimos uma única vez, e os amigos que moram lá confirmaram que realmente aquele lugar é exceção). Os japoneses usam bolsa, tanto homens quanto mulheres, é raro ver alguém sem bolsa. Até as crianças, a partir de uns 7-8 anos, tem as suas bolsinhas (com toalhinha e afins). No verão era comum ver tanto homens quanto mulheres se abanando com leques.

Viaje com internet no seu celular

Vai viajar para o exterior? Já chegue no seu destino com o celular funcionando. A EasySim4u oferece plano de dados ilimitados em 140 países, para que você fique conectado a internet. Utilize o cupom exclusivo para leitores do blog APRENDIZDEVIAJANTE e receba frete gratuito! Veja meu post: Chip EASYSIM4U: Como usar a Internet na Europa.

Muita gente veste yukatas na rua, que são esses kimonos mais simples, de algodão, principalmente nos finais de semana

Dica: se você gostaria de se vestir da forma tradicional japonesa, usando uma yukata e todos os acessórios, tem uma rede de lojas que aluga os trajes por duas noites, e por um custo adicional veste você e faz o cabelo e maquiagem, chamada Atelier Haruka.

Comida e restaurantes

Se você imagina que comida japonesa é só peixe cru, está redondamente enganado. Seria a mesma coisa que pensar que comida brasileira é só feijoada ou churrasco! São especialidades locais, claro, mas não são a comida principal do dia-a-dia, e a maioria dos restaurantes do cotidiano nem oferece sushi ou sashimi. Os pratos básicos são com arroz, peixe cozido ou grelhado, carne de porco ou frango, ovo, sopa, macarrão (ramen, soba ou udon) e tofu. O meu marido que não come peixe cru (sushi e sashimi estão fora de cogitação) da primeira vez ficou positivamente surpreendido com a variedade de comida que ele encontrou, porque viajou com medo de que não ia ter muita coisa pra comer. Dessa vez ele foi tranquilo e comeu muito curry japonês (que não é picante, diga-se de passagem). Normalmente eles não tem pratos especiais pra crianças, mas como a comida normalmente não tem muito tempero, foi bem tranquilo pra achar alguma coisa pra Julia comer (ela adorou soba, que é o macarrão frio que eles comem no verão). As crianças foram sempre bem recebidas, e nos restaurantes eles traziam logo um kit de copinho, pratinho e talheres infantis tanto pra Julia (que tinha quase 5 anos) quanto pro Eric. E eles traziam chá pra todo mundo, adultos e crianças também. Nas ruas você vê sempre máquinas que vendem vários tipos de água, chás, sucos, sempre geladas no verão e trocam pra muitas bebidas quentes no inverno. O preço médio de uma bebida na máquina em julho de 2012 era 120 ienes. O Japão é um dos únicos países no mundo que tem essas máquinas assim na rua a céu aberto, por um motivo simples: o índice de vandalismo é quase inexistente. Antigamente as máquinas vendiam também bebidas alcóolicas, mas a gente não encontrou nenhuma que vendesse atualmente. Você encontra muitos restaurantes (bons!) dentro das estações de trem maiores e no subsolo das grandes lojas de departamento tem centenas de stands vendendo todo o tipo de comida pra você levar embora e comer em casa ou fazer um picnic (Isetan e Takashimaya são duas das que nós provamos a comida).

Julia comendo soba em um restaurante em Tóquio
Restaurante em Tóquio com os pratos (de plástico) expostos na vitrine, com os preços. É comum os restaurantes terem os pratos expostos assim e menus com fotos

Transporte

Em Tóquio o metrô e os trens são o principal meio de transporte. Saindo de Tóquio, entre as cidades principais, os trens bala (shinkansen) são a melhor opção. Em Quioto os ônibus são o meio de transporte mais prático. Do aeroporto de Narita pra Tóquio você pode pegar o Narita Express, que é um trem rápido de lugares marcados, ou o Limousine Bus, que é um ônibus especial que para em vários hotéis e estações de trem. O Limousine Bus é mais barato que o Narita Express se você comparar preços avulsos, mas evite pegar o ônibus em horário de rush. Ele leva uma boa hora e meia, quase duas horas pra chegar até a estação de Tóquio no miolo da cidade, e com o trânsito, pode levar até mais. Na primeira viagem em 2006 nos pegamos o Limousine Bus, e foram duas horas até o nosso hotel em Ginza, no maior trânsito. Dessa vez pegamos o Narita Express e levamos uma hora até a estação de Shibuya. Pra entender o metrô, tenha sempre um mapa de papel à mão. O site Jorudan ajuda a planejar as baldeações, mas não dispense o mapa de papel, por dois motivos: o Jorudan calcula as baldeações de acordo com o horário – as rotas variam de acordo com o trem que vai chegar primeiro. Se você atrasa 5 minutos, a melhor rota já pode ser outra. Mas o principal problema na minha opinião é o seguinte: ele te diz a rota mas não te diz a direção do trem que você tem que pegar. Só diz a estação. Então ele fala: de Shibuya vá para a Omote-sando e de lá troque pra Ginza line e vá até a estação Shimbashi. Só que na estação Omote-sando, você vai ver que a Ginza line tem duas direções, e só vai saber qual é a certa olhando no mapa de papel, localizando a estação pra onde você quer ir.

Meu JRPass da viagem de 2006
Passando numa catraca eletrônica do metrô de Tóquio usando o cartão SUICA, você vê o quanto de dinheiro foi deduzido e quanto ainda tem no cartão

Japan Rail Pass (JRPass) ou SUICA + NEX

Se você pretende viajar pra mais de uma cidade, o Japan Rail Pass provavelmente é a melhor opção. Esse passe é vendido apenas pra visitantes estrangeiros e só pode ser comprado fora do Japão (veja a lista de onde comprar o JRPass no Brasil aqui). Portanto, se você decidir que vale a pena comprar um, compre o seu com um agente de viagens antes de embarcar, senão já era. Tem 3 opções de duração: passe de 7 dias, 14 dias ou 21 dias, para adultos ou crianças de 6 a 11 anos (crianças menores de 6 anos não pagam). O Narita Express do aeroporto pra Shibuya sozinho custa 3110 ienes pra ir e 3110 pra voltar, e está incluído no JRPass, assim como o uso ilimitado do metrô. O trem bala de Tóquio pra Quioto custa mais que Narita Express (chamado de NEX). Na primeira viagem nós compramos o JRPass porque fomos de Tóquio pra Quioto, Nara, Himeji, Takayama, entre outras cidades. Dessa vez a gente só ficou em Tóquio e deu um pulinho a Hakone, então não valia a pena comprar o JRPass pelo preço. A chatice do JRPass é que ele precisa ser validado antes de você começar a usar, em algum escritório da JR (que é a maior empresa de trens do Japão), e não dá pra passar nas roletas eletrônicas com ele, você tem sempre que mostrar pra um funcionário pra ele te deixar passar. A JR tem um escritório no aeroporto de Narita e nas maiores estações de trem como a de Tóquio, Shibuya, Shinjuku. Mas a economia é grande se você vai visitar várias cidades. A Mirella escreveu um post muito bom sobre comprar ou não comprar o JRPass.

Compramos um cartão combinado SUICA + NEX no aeroporto quando chegamos, que é uma boa pedida pra quem vai ficar até 14 dias: por 5.500 ienes por pessoa inclui a passagem no Narita Express ida e volta, mais 2000 ienes de crédito pra usar no metrô, e 500 ienes de depósito você recupera quando devolve o cartão no aeroporto na hora de ir embora. O bom de ter um cartão SUICA (ou PASMO, que é um outro fabricante mas dá tudo no mesmo), é que você recarrega o dito cujo com dinheiro sempre que precisar, e aí é só passar nas roletas do metrô que o total correto de cada baldeação é deduzido automaticamente, você não tem que ficar comprando ticket de papel. Crianças até 6 anos não pagam passagens em transporte público.

Nós no Narita Express, chegando em Tóquio

Terremotos

Todo mundo sabe que o Japão é um lugar sujeito a terremotos. Me falaram várias vezes que a gente ia pegar vários terremotos nas nossas viagens. Mas no total de 32 dias que passamos por lá em duas viagens diferentes, não pegamos nenhum terremoto (não que a gente tenha sentido, claro, porque sei que tem muito terremoto que acontece e ninguém nem sente, mas esses não contam).

Clima

A primavera é bem fria pros padrões brasileiros, se você vai na época das cerejeiras em flor, vai precisar de um bom casaco, provavelmente não vai conseguir usar blusa de manga curta muito menos short ou bermuda. Dependendo da cidade que você visitar, pode até precisar de gorro, luvas e cachecol, como foi o nosso caso em Takayama e Shirakawa-go, que ficam nas montanhas (ainda tinha resto de neve em Shirakawa-go em abril). Nós pegamos muita chuva também, vários dias cinzas, mas não é comum. O verão em Tóquio pode ser bem quente e úmido, pegamos mais de 30 graus praticamente todos os dias, com 2 dias estranhos no final de semana em que a temperatura caiu pra uns 18 graus. O resto do tempo a gente suou mesmo, de camiseta, shorts e sandálias, andando na rua. Junho, setembro e outubro são os meses mais chuvosos em Tóquio. Junho, julho e setembro são os meses mais chuvosos em Quioto. Segundo os meus amigos brasileiros que moram em Tóquio, apesar do frio no inverno tem bastante sol, então não é uma época ruim pra visitar se você aguenta bem o frio (por volta de zero, um pouco menos ou mais). O outono eles dizem que é a estação mais bonita, já mais fria (precisa já de um bom casaco como na primavera) mas com dias lindos de sol e céu azul e as árvores mudando de cor. Veja abaixo o gráfico de temperaturas médias em Tóquio e Quioto durante o ano. Pra ver temperatura mês a mês de várias cidades no Japão, entre nessa página do Japan Guide.

Temperatura média máxima e mínima em Tóquio por mês. Fonte: Weather.com
Temperatura média máxima e mínima em Quioto por mês. Fonte: Weather.com

Melhor época para ir

Na primavera, quando as temperaturas estão amenas (friozinho pra nós brasileiros), as cerejeiras florescem (final de março, início de abril, mas pode atrasar ou adiantar de acordo com o clima) e acontecem inúmeros festivais interessantes, como o Miyako Odori em Quioto (quando as gueixas dançam no Teatro Kaburenjo, para o público) e o Takayama Matsuri, que é patrimônio da humanidade e vale muito a pena ver (tem que reservar com meses de antecedência, porque a cidade é pequena e tem poucos hotéis). O outono é a segunda melhor época, com temperaturas amenas a partir de outubro (quando chove menos), as árvores mudando de cor e o Takayama Matsuri acontece novamente.

Hotéis e onde ficar em Tóquio

Da primeira vez nós fomos a Tóquio ficamos em Ginza, que é um bairro muito legal cheio de lojas interessantes e bons restaurantes. Nessa segunda vez ficamos em Shibuya, pertinho da Omotesando (que é uma rua super movimentada com lojas bacanas), e gostei ainda mais. Recomendo os dois lugares, mas se você ficar em Shibuya acho melhor ainda – é aquela imagem que a gente tem da Tóquio efervescente, muita gente na rua, aqueles prédios cheios de luzes, muitas lojas com novidades estranhas, restaurantes de todos os tipos e preços, e é claro, uma estação de trem importante, com conexões pra tudo que é canto – mas não tão gigante que dê calafrios como a de Shinjuku ou a de Tóquio. Mesmo assim tente ficar perto de uma dessas grandes estações, você perderá menos tempo (e dinheiro!) com baldeações de metrô. Dica de onde ficar em outras cidades: procure ficar perto da estação principal de trem da cidade. Pode parecer bizarro pra um brasileiro (e pra um americano também), porque nos nossos países as áreas ao redor das estações de trem não costumam ser muito boas, e muitas vezes, são até mesmo perigosas. Mas no Japão as estações são quase que shopping centers, cheias de restaurantes e lojas, e o comércio local ao redor (incluindo hotéis!). Então não precisa ficar desconfiado se você descobrir que o seu hotel fica ali do lado da estação de trem, muito pelo contrário. Hotéis da viagem anterior: Courtyard Tokyo Ginza Hotel em Tóquio (na época era Renaissance Ginza) boa localização, bonitinho e a equipe do hotel era super atenciosa e falava bem inglês. A pousada-ryokan Hatoya Zuihokaku em Quioto era pertinho da estação de trem de Quioto, localização super prática, mas a pousada em si é bem fraquinha. Alguns funcionários falavam inglês direitinho. O Best Western de Takayama, na época estava estalando de novo, o quarto era grande com um ótimo banheiro, e muito bem localizado, dava pra ir a pé pra tudo. A equipe desse hotel falava bem pouquinho de inglês. Quanto menor a cidade, mais difícil encontrar gente que fale inglês (ou qualquer outra língua). Nessa viagem nos ficamos no apartamento dos nossos amigos em Shibuya. Veja aqui o post Onde ficar em Tóquio que fiz com as dicas de hotéis em Tóquio enviadas por leitores e amigos blogueiros.

Gabe no nosso quarto no ryokan em Quioto, abril de 2006

Dinheiro

Se você acha que o Japão é caro, eu digo que depende. Do jeito que as coisas no Brasil (principalmente no Rio e em São Paulo) andam caras, não acho que você vai estranhar muito os preços japoneses não. Vou dar um exemplo: acabei de olhar o câmbio e 1 real vale 38 ienes no momento que escrevo esse post. Você vai gastar em média entre 700-1500 ienes por refeição no almoço, o que convertido daria entre R$18-39 reais. Assustou? Claro que tem restaurantes mais caros (e mais baratos também), mas esse preço é a média, o que um japonês gasta morando lá (isso é o que os meus amigos que moram lá gastam pra almoçar todos os dias, e foi mesmo a média que a gente gastou). O metrô é razoavelmente caro, mas depende muito se você vai usar um JRPass, se vai ficar mais perto do centro ou das estações principais ou não…ficar num hotel muito afastado pra economizar pode acabar saindo mais caro ou igual com o tanto que você vai gastar de metrô. Pense que você vai gastar uns bons R$20 por dia de metrô, alguns dias mais, outros dias menos, ficando em um lugar como Shibuya. Se ficar mais longe, pode dobrar esse valor. A grande maioria dos lugares em Tóquio aceita cartão de crédito internacional, mas ainda assim tem muito lugar que só aceita dinheiro. Máquinas pra sacar dinheiro com cartão internacional normalmente são encontradas dentro de lojas de conveniência da rede Seven-Eleven. Nunca fique com pouco dinheiro, tenha sempre o suficiente pra um dia de metrô (caso não tenha o JRPass) e uma refeição na carteira. Vale lembrar que a taxa de criminalidade no Japão é uma das mais baixas no mundo, então não precisa ficar com medo de ter dinheiro na carteira (só não esqueça a carteira em algum lugar!). Você vai precisar de dinheiro vivo pra recarregar o cartão SUICA ou PASMO na máquina do metrô (não entendo porque não dá pra recarregar com cartão de crédito, mas enfim…). Seus maiores gastos na viagem serão com a passagem aérea (claro!), o hotel (mesmo assim mais barato que em NY por exemplo) e com os trens bala/JRPass. Roupas de um modo geral são tão caras quanto no Brasil. Eletrônicos são mais baratos que no Brasil, mas mesmo assim mais caros que nos EUA, e tem a diferença de tomadas.

Uma nota de 10 mil ienes
Loja Seven-Eleven no Japão, onde você normalmente encontra máquinas pra sacar dinheiro com cartão internacional

Higiene e banheiros

Os japoneses são bastante higiênicos, no verão eles carregam toalhinhas pra limpar o suor e as farmácias vendem todo o tipo de produtos pra você limpar o suor. Eles não pegam o dinheiro diretamente, colocam num pratinho e dão pra você pegar, e vice-versa. Nas cidades turísticas que visitamos os banheiros eram quase sempre bem limpos (com algumas poucas exceções) e tinham papel higiênico (já ouvi brasileiros que moram em regiões mais rurais e não-turísticas falando que nem todo banheiro tem papel, mas não tive o desprazer de usar nenhum). Mesmo tendo papel higiênico, um grande número de banheiros não tem nenhum tipo de toalha pra enxugar as mãos, nem de papel, nem secador com ar quente, nada. No meio da nossa viagem adotamos uma pequena toalha na bolsa, que resolvia essas situações. As estações de trem e metrô sempre tem banheiros públicos bem decentes, e a maioria dos banheiros tem vasos sanitários ocidentais e orientais (que ficam no chão, e você tem que se agachar pra usar). Nos banheiros para deficientes físicos e banheiros femininos eles tem sempre trocador de fralda para bebês. Nos banheiros de shoppings e lojas são comuns os vasos sanitários eletrônicos, que fazem um monte de barulhos, tem jatos de água e afins.

Trocador de fraldas em um banheiro público no Japão

Acessibilidade

Quase todas as estações de metrô e trem tem elevadores. Nem sempre eles são fáceis de achar, em muitos casos você tem que fazer um caminho por corredores vazios, mas em 95% dos casos, eles existem. Da primeira vez a gente nem notou, mas dessa vez, com carrinho de bebê, a gente procurou e encontrou os elevadores em praticamente todas as estações. Não sei o nome, mas tem um caminho para cegos demarcado no chão em todas as estações e na maioria das calçadas nas ruas.

Telefonia

No Japão um estrangeiro não pode comprar um chip (SIM card) de celular. Você pode alugar um telefone ou alugar um SIM card pro seu telefone, se ele for desbloqueado, mas não é barato, e vale a pena consultar a disponibilidade (nós tivemos dificuldade de achar um lugar que alugasse o SIM card pro iphone 4 do meu marido, que é desbloqueado; a maioria das lojas tinha apenas SIM card pro iphone 3GS). Nós alugamos com a Soft Bank, que é uma das maiores operadoras do Japão, mas tem várias outras que alugam telefones e SIM cards pra outros tipos de smartphones. Vale a pena consultar a lista das empresas de telefonia no aeroporto de Narita, algumas só alugam se você reservar com antecedência (e tem melhores preços).

Cerejeiras em flor no Shinjuku Gyoen, um jardim enorme em Shinjuku, Tóquio (2006)

Transporte de malas

Se você está viajando com malas grandes ou com crianças e não quer ficar de um lado pro outro nas estações de trem com as malas, pode usar o serviço de takuhaibin pra despachar a mala de um hotel pro outro ou do aeroporto pro hotel e vice-versa. Normalmente você envia num dia e recebe no outro, então vai ter que separar uma muda de roupa numa mochila ou bolsa menor pra levar até receber o resto da bagagem. Tem várias empresas que fazem esse serviço, a Yamato e a JAL são duas delas, usamos nas duas viagens e foi muito prático. Custa em média 1800 ienes por mala, mas o preço depende do tamanho e peso da mala e da distância que você está despachando. No nosso caso, com duas crianças pequenas, carrinho, e vários itens de bagagem de mão das crianças, foi bem mais simples despachar as nossas malas e não ter que manobrar isso tudo nas estações de trem. Aqui tem uma lista de transportadoras no aeroporto de Narita. Tenha o endereço escrito em japonês pra mostrar pros funcionários. Se você não vai ficar em hotel (na casa de alguém ou apartamento alugado por exemplo) vai precisar estar presente pra receber as malas.

Gabe pegando as nossas malas no aeroporto no serviço de transporte (na volta)

Fuso-horário

A diferença é brutal, 8 da manhã no Brasil são 8 da noite no Japão. Pra gente (nós moramos em Austin, no Texas, EUA) são 14 horas a menos. Mas eu achei que foi muito pior a volta do que a adaptação quando chegamos lá. As crianças levaram uns dois-três dias pra entrar no fuso-horário japonês. Mas quando voltamos pra casa, o Eric levou uma semana inteira pra voltar ao horário normal. A Julia voltou em menos de 2 dias.

Mais posts da série Japão aqui no blog:

Roteiro de Viagem pelo Japão
Guia Fotográfico de Comida Japonesa
O que fazer em Tóquio
Onde ficar em Tóquio
Passeios de 1 dia a partir de Tóquio
O que fazer em Quioto
Compras no Japão
Restaurante em Tóquio: jantando com os Ninjas
Um dia em Nara, a antiga capital do Japão
Como é o Takayama Matsuri, um dos festivais mais famosos do Japão
Tóquio com crianças: dicas para quem vai com bebê e criança pequena
Visitando o Hakone Open Air Museum
Como chegar a Hakone (e como se locomover na área)
Como é a Tóquio Disney Sea, o parque da Disney que só o Japão tem

Se você tem dicas ou perguntas, é só deixar na caixa de comentários!

Você pode ver também todos os posts que publiquei das duas viagens ao Japão no meu blog pessoal aqui.

* Este post contém links para afiliados. Para ver nossa política de monetização, clique aqui.


Vai Viajar?

Assine a Revista Aprendiz de Viajante! Assine a revista por R$ 120,00 + chip com 30 dias de internet ilimitada gratuita para usar em mais de 140 países!!!! Você sabia que o chip mais barato, de 5 dias, custa mais caro que a assinatura??? Então aproveite!!!! Assine agora.

Não esqueça de fazer o seu Seguro de Viagem, pois ele é obrigatório nas viagens para a Europa. Mesmo nos Estados Unidos, é altamente recomendado, pois como não existe saúde pública no país, qualquer problema mínimo de saúde pode resultar numa conta altíssima de hospital ou pronto socorro. Nós não viajamos sem seguro nunca. Faça sua cotação para encontrar o seguro que você precisa. Você pode pagar em até 12x no cartão ou ter desconto de 5% no boleto. Nossos leitores ainda recebem um desconto de 5% na hora de pagar. Use o código promocional: APRENDIZ5.

Reserve o seu hotel no nosso parceiro Booking

Precisa alugar um carro? Reserve o carro na RentCars. A cobrança será feita sempre em reais, sem IOF e você ainda vai poder dividir em até 12 parcelas no cartão de crédito ou ter um de 5% no boleto bancário.

Saia do Brasil com seu chip internacional já funcionando no celular.


89 COMENTÁRIOS

  1. QUE LEGAL SUAS FOTOS , EU TAMBEM MORO NO TEXAS NA CIDADE DE AMARILLO, GOSTO MUITO DE FOTOGRAFIAS QUERO FAZER UM CURSO PARA APRENDER COMO TIRA-LAS MELHOR NAO TENHO MUITA NOCAO E POR GOSTA E TENHO ALGUMAS EXIGENCIAS E BUSCANDO ALGUMAS INFORMACOES DESCOBRIR QUE TENHO ABILIDADES MAS NAO SEI COMO USA-LAS , ESTOU PESQUISANDO E CONHECENDO ALGUMAS CAMERAS MAS NAO ESTA AO MEU ALCANCE UMA PROFICIONAL OU SEMIFROFICIONAL GOSTEI DA CANON SX40 HS E SX 50 HS QUE ACABOU DE SER LANCADA POR FAVOR SE VC PUDER ME DAR ALGUMAS DICAS SOBRE ELAS PRINCIPALMENTE A SX50 QUE EU NAO TENHO MUITA INFORMACAO.UM GRANDE ABRACO TEXISANO.

  2. Cara!!! adorei este post…
    Bom eu já morei lá por 8 anos mas já estou a 3 anos no Brasil mas agora em setembro fui passar 15 dias de férias lá, tudo bem que para mim tudo isso que você colocou parece muito óbvio, mas para os que vai pela primeira vez são dicas valiosissimas.
    Adoro o Japão pretendo voltar lá de tempos em tempos..

  3. Olá Luciana! Já li seus posts no seu blog e adorei. Agora lendo essas dicas, com tantos detalhes, estou achando maravilhoso. Iremos pela primeira vez ao Japão em dezembro, aproveitando o jogo do Timão. Eu sou descendente de japoneses, mas não falo nada da língua, mas vou levar meu pai, que fala um pouco. Ele também nunca foi, e acho que vai ser uma viagem interessante para todos nós. Também vou com minhas filhas, mas são mais velhas um pouco, de 12 e 8 anos. Estava preocupada com essa questão das passagens de metro, mas acho que vou seguir sua dica do combinado Suica`+ Nex. Vou ficar 12 dias, somente em Tokyo. Mas pretendo ir até Hakone também.Vc sabe se é possível ir com esse passe? Abraços,
    Tânia

    • Tânia, o cartão SUICA não é um passe, e sim um “cartão de débito” do metrô e trem. Ele vem com 2 mil ienes, que não é muito, e você vai recarregar na máquina com dinheiro quando acabar o valor inicial. Então pra ir a Hakone (ou qualquer outro lugar) você vai passar o cartão nas roletas, e só precisa ter dinheiro nele pra pegar o trem. Pra ir a Hakone o ideal é pegar o trem bala, nós fomos de metrô e trem comum e levou muito tempo (2h pra ir, 2h pra voltar). Sugiro que você passe uma noite lá. Depois eu te digo quanto saiu, ainda vou escrever um post só sobre a ida a Hakone!

  4. Nossa, Lu, adorei esse post! Já tinha muita vontade de conhecer o Japão, só fez aumentar. Agora, me conta: o que o pequeno de 9 meses comia? Vi que você disse que as comidas não são muito apimentadas, dá pra servir a mesma coisa para os pequenos?
    Beijos e parabéns!

    • Neyara, obrigada! Até daria pra servir a mesma comida pro pequeno sim, mas eu levei papinha de bebê por precaução!

  5. Luciana, estou prestes a embarcar para o japão e suas dicas me deixaram mais segura para encarar esta aventura do outro lado do mundo. Estava um pouco apreensiva com relação à comunicação, culinária e transporte, mas agora vi que posso ir tranquila. Um abraço.

  6. olá Luciana,

    em primeiro lugar, parabéns pelo site, já está entre os favoritos!!

    eu e meus pais vamos ao japão em março, e ficaremos por 17 dias .. a intenção é ficar mais tempo em tokyo, ainda estamos preparando o roteiro, mas estamos com dúvida em relação as JRpass, já que ele é bem caro. você sabe quanto gastou em média, por dia, com metrô??

    desde já, mto obrigada!

    • oops, já achei a resposta no item dinheiro… de qualquer forma, o que você acha.. não viajaremos tanto de cidade em cidade como você fez da primeira vez, nem vamos ficar só em tokyo .. ainda assim você acha que vale a pena comprar o JR?? de 14 ou 21 dias???

      obrigada!!!

      • Fernanda, só mesmo vendo o seu roteiro pra calcular se vale a pena ou não. Pra usar somente no metrô não acho que vai valer a pena mesmo, então eu já descartaria de cara o JR de 21 dias. Na nossa primeira viagem nós ficamos 17 dias como vocês e compramos o JR de 14 dias, começamos a usar a partir do 3o dia de viagem, porque não valia a pena pagar o de 21 dias só pra andar de metrô em Tóquio. No site Jorudan você pode colocar todos os trechos que você vai fazer de metrô e trem todos os dias da viagem e ver quanto isso vai dar no total (aconselho muito a fazer isso, até porque você vai vendo as distâncias, pois o site te diz o tempo que você vai gastar). Dessa forma você já pode ver logo se tem alguma coisa no roteiro que não faz sentido em termos de tempo de deslocamento (e custo!). Nós cortamos algumas coisas do nosso roteiro dessa vez pelo simples fato de ter que fazer 3 baldeações de metrô pra chegar no lugar, não achamos que valia a pena. Como falei no post, os gastos de metrô vão depender muito de onde você vai ficar hospedada! Qualquer coisa é só falar. Não deixe de ler os meus posts dia-a-dia lá no meu blog pessoal também. http://luciana.misura.org/category/viajando/japao

  7. Olá, Boa tarde! Estou planejando uma viagem para o Japão juntamente com minhas duas irmãs! Gostaria de saber qual a data vocês indicam pra gente não passar frio (não suporto frio!); o inglês é fluente por lá né?? Tipo, a gente não passa aperto nessa área??? Como é nossa primeira vez, vocês indicariam um guia, ou ir em uma excursão??? Mais ou menos quanto ficaria em reais pra uma pessoa ir e ficar uns 20 dias??? Não sendo muito esbanjadora claro, mas sendo normal??? Desde já agradeço a atenção!

  8. Ah…eu gostaria de poder manter contato com vocês até a viagem! Será que é possível??? Vocês tem msn ou Skype??? Fiquei tão animada depois que li os seus posts

  9. muito bom esse post meu sonho e ir para o japão estou guardando dinheiro esse ano acho que vou ainda boas dicas para iniciantes

  10. Luciana,
    Parabéns pelo Blog! Passei o dia buscando informações, pois iremos para o Japão dia 19/12 e ficaremos por l[a até 10/01. O seu foi um dos melhores em termos de informações. Você só meu deixou mais entusiasmada e olha que não li tudo ainda. Iremos direto para Osaka, faremos base lá, aproveitando para ir a Kyoto uma ou duas vezes, Hiroshima, Nara e Kobe. Ficaremos 7 noites, 2 em Nagoya e depois sobrarão 9 noites que, inicialmente estamos dedicando a Tokyo e arredores. Com seu conhecimento, tirando o turismo em Tokyo, que locais recomenda? Muito Obrigada!

  11. Luciana: Suas dicas são incríveis!!! Obrigada por nos ajudar. Minha duvida é sobre taxi X metro. Sendo 4 pessoas pagando as passagens, não seria melhor se deslocar de taxi? Ganharíamos no quesito tempo. Taxis são viáveis? Obrigada.

    • O maior problema do táxi é a comunicação, porque os motoristas não falam quase nada de inglês e se você não tem o endereço escrito em japonês, a chance de não dar certo é grande. E em termos de trânsito eu vou confirmar com a minha amiga que mora lá…mas acredito que o metrô seja mais vantajoso. Com certeza é mais fácil porque você tem os nomes das estações escritos no nosso alfabeto e eles aunciam em inglês.

  12. Adorei as dicas, pretendo viajar pro Japao na segunda quinzena de maio, e gostaria de saber mais sobre a temperatura neste periodo, você sabe se ainda faz frio ou já esta começando a esquentar?

  13. .poderiam me orientar sobre a viagem ao japão. tenho duas dúvidas: chegarei pelo narita e siguirei para shinjuku, onde me hospedarei. leio, em alguns lugares, que é necessário despachar as malas, pois é um hábito não pegar o trem com bagagens. isso é certo? sobre o jrpass, como ficarei 4 dias em tokyo, 4 em kyoto e retorno p tokyo, onde passarei mais 4 dias, vale a pena comprar o jrpass, que está custando quase 500 dólares? ou é mais vantajoso comprar o suica e as passagens no uso? abraços, barbara

    • Não é necessário despachar as malas, vc faz isso se não quiser carregar. Não sei quantas malas vc vai levar nem o tamanho, a gente despachou porque estava com duas crianças pequenas nos carrinhos e não ia conseguir empurrar carrinho e levar mala ao mesmo tempo…Sobre o JR Pass, só calculando os preços dos deslocamentos que você planejou e somando pra saber se vale a pena comprar ou não. A passagem de Tóquio para Quioto ida e volta é bem cara, então dependendo do que você for fazer nos outros dias pode ser que compense…mas tem que colocar no site os percursos e ir somando tudo mesmo, não tem outro jeito.

  14. Luciana, parabens pela obra. Eu me deparei com seu blog porque acendeu uma chama. Vi um video caseiro, feito por um amigo lá do Japão. Ele e mais outros aparecem num snow. Surfar na neve não me chamou a atenção. Mas, eu me transportei pra lá. Nunca havia sentido essa vontade real. Perguntei…e porque não? Planejar ir é um bode danado…ehehehe…vi que voce tem uma boa opção de planejamento. 2018 é um ano que poderá ser possivel, tendo em vista que estão em pauta outras viagens pagando e gratuitas para outros paises. Vamos trocar ideias? obrigado desde já!

  15. Adorei! Tenho vontade de ir ao japao desde 1997,1998. Moro nos eua desde 2000 e morava em Michigan tb, em grandville, pertinho de grand rapids. 🙂 o blog tem uma FB acct?

  16. Adorei a página! Gostaria de tirar uma dúvida. Com o JR Pass, para ir até Quioto é só chegar na estação e apresentar o documento? Ou preciso reservar com antecedência? Obrigada! o/

  17. Oi Luciana, adorei seu blog! Viajar para o Japão é um sonho para mim e venho a uns 2 anos planejando essa viajem com todo carinho, tenho quase tudo pronto só me resta uma única dúvida que deve ser a dúvida de muita gente, quanto mais ou menos devo levar para lá fora as passagens ?Fiz umas contas com algumas informações que peguei em alguns blogs e sites e cheguei a um número que as vezes acho exagero as vezes acho insuficiente ! Pensei algo em torno de 20 mil reais ( passagens para duas pessoas, alimentação, passeios, estadia em ryokans ou coisa similar, algumas lembrancinhas) .Gostaria muito da sua ajuda !… Obrigado desde já e parabens mais uma vez pelo blog.

    • Ricardo, eu nunca gosto de trabalhar com um número total incluindo passagens e afins, porque as passagens mudam o tempo todo e volta e meia tem alguma promoção. Ano passado mesmo teve uma promoção de passagens do Brasil pro Japão por menos de 2 mil reais, então acho ruim ficar com um número na cabeça que inclua valor de passagem. Valor pra hotel é outra coisa que varia demais, porque como você pode ler no post Onde ficar em Tóquio, tem gente que ficou em hotel de 1 estrela e gente que ficou em hotel 5 estrelas…enfim, só entrando nos sites de reserva de hotéis (como o Booking.com que você vê aqui no blog) e fazendo uma simulação com datas de estadia e cidades pra chegar em um valor realista (por exemplo, se você vai na época das cerejeiras ou na época dos feriados japoneses, os valores serão mais altos). Os valores de alimentação falei no post a média (entre 700-1500 ienes), e valor de transporte vai depender se você vai comprar o JR Pass ou não! Não tem como chutar um valor, tem que colocar tudo numa planilha e ir fazendo simulações nos sites e anotando tudo. É assim que eu faço, vou colocando nomes das cidades, nomes dos hotéis, datas, valores das diárias, valor pra ir e voltar de trem até lá, valor do JR Pass…tem que colocar na ponta do lápis. Tenho horror a valores chutados! Ah, e acho sempre melhor anotar os valores em ienes (ou qualquer que seja a moeda local), porque o câmbio muda muito e você pode ficar com um valor em real na cabeça e quando for comprar, leva um susto.

  18. Olá Luciana,
    Bem legais suas dicas.

    O que fazer em Tóquio, em no máximo 5dias?
    Poderia me indicar um roteiro, passo a passo, incluindo o tradicional e novo de Tóquio, o que realmente vale a pena?
    Cinco dias são suficientes para uma rápida visão da cidade?
    Grato.

  19. Olá Luciana,
    Tenho espirito aventureiro, mas nunca tive a oportunidade de sair do país, porém pintou uma oferta de passar 2 semanas no Japão (como mochileiro, claro) e suas dicas esclareceram varias duvidas que eu tinha (comida, transporte, comunicação…). Obrigado por tudo e saiba que acaba de ganhar mais um leitor o/

  20. Olá Luciana! Tudo bem?
    Minha querida, veja se pode me ajudar.
    Agora no final de abril eu, minha esposa, minha cunhada e meu concunhado iremos para o Japão.
    Chegaremos em Tokyo, depois vamos para Nagoya, Kyoto, Osaka e voltamos por Tokyo.
    Minhas duvidas são 2:
    1-Vale mesmo a pena comprar logo o Japan Rail Pass?
    2-Como viajamos com 2 malas grandes cada um, transporta-las nos trens é uma coisa simples?

    Espero muito que possa nos ajudar.

    Grande abraço e tudo de bom!!

    • Mauricio, como falei acima, só colocando os valores na ponta do lápis pra saber se vale a pena o Japan Rail Pass ou não. Tem que entrar no site da JR e anotar os valores de cada trecho e somar pra ver se vai ser mais caro ou mais barato que o valor do passe.

      2 malas grandes cada um é loucura, não aconselho. Nós viajamos os 4 com duas malas médias…vocês estão levando coisa demais 😉 De qualquer forma, se não conseguirem reduzir as malas, tem sempre a opção de entregar como expliquei no post, já usamos duas vezes e foi muito prática.

  21. Ola Luciana.. muito bom seu post. Você conseguiu demonstrar que a forma mais simples de se relatar uma viagem é o melhor jeito de aprender sobre detalhes importantes.

    Estou indo com minha família (mulher e dois filhos – 6 e 8) e vamos ficar em Kyoto e Tokyo.

    Você poderia me dizer se no aeroporto existe um lugar para que possamos deixar nossas malas e pega-las quando sairmos do Japão?

    Pergunto isso porque nossa viagem será longa e o Japão será o ultimo ponto (passaremos pelos Emirados Árabes e China antes) e por isso não queremos andar com duas malas gigantes só com o q foi comprado e roupa suja…hehe..

    Se tiver essa dica, ficarei grato…

  22. Oii Luciana, adorei seu post!! Sempre tive paixão por conhecer o Japão e estou tentando me organizar para viajar; para um casal, passar uma média de uma semana em Japão (só em Tóquio mesmo), qual a média de custos que você estima (considerando o hotel e alimentação)?
    Obrigada!

  23. Oi Luciana, gostei muito do seu post; há tempos sonho em conhecer o Japão; estou tentando organizar uma viagem para lá, mas sem intermédio de operadoras; você tem ideia de qual seria a despesa média para um casal ficar em apenas em Tóquio (considerando hotel e alimentação)?
    Obrigada!

  24. Olá bom dia luciana estou planejando uma viagem para o Japão gostei muito das suas informações estou indo sozinha mais tem uma lá mim esperando agora sim estou mais tranquila você mim endicaria um site de passagem barata..obrigado

  25. Olá! Gostei muito do site. Estou planejando uma viajar para o Japão ano que vem e estou tentando planejar a viagem e sanar algumas dúvidas para melhorar o planejamento. Um quesito que está criando dúvidas é a questão das malas. Planejo levar apenas uma mala de tamanho médio/grande e queria saber se posso entrar em um trem com ela, mais especificamente, queria saber se posso ir com essa mala de Quioto a Tóquio (e vice versa), sem problemas. Isso é possível ou preciso enviar as malas antes. Caso tenha que enviar antes, como faço caso queria enviar as malas de um hotel em Tóquio para um Hotel em Quioto? Terei que ir ao aeroporto para despachar as malas de um hotel para outro? Tem como solicitar esse serviço de outra forma sem ser no aeroporto de NArita? Outra dúvida… Se eu estiver planejando sair de Quioto para Tóquio na segunda, terei que enviar a mala domingo para tê-la na segunda em meu hotel em Tóquio, né?
    Outra dúvida: De Quioto pata Tóquio há trem bala, né? E posso usar o Japan Rail Pass nesse trem bala? Aliás, posso usar o Japan Rail Pass em todos os trens?
    Desde já eu agradeço pelas informações!
    Abraços!

  26. Maravilhosa informações, anotei todas!!! Pretendo ir a Tokyo em Dezembro, sou apaixonado pela cultura Asiática em Jan. deste ano estive em alguns lugares asiáticos ( Tailândia, Singapura, Malásia) e fiquei impressionado, e depois dessas suas informações quero fechar o ano de 2014 nesta cultura tão esplêndida que é o Japão.
    Forte Abraço, Paullo.

  27. Olá
    Estamos planejando viajar de férias por volta de 20 de dezembro de 2014 para ficarmos um mês. Sei que está super próximo e por isso gostaria de ajuda. Você acredita que neste período os custos de viagem (hospedagem, passeios, alimentação e transporte) serão muito mais altos do que em Abril, por exemplo? Como poderíamos fazer para otimizar os custos? Voaríamos provavelmente até Toquio, passaremos alguns dias por lá (3 a 6 dias, aproximadamente), depois iríamos para HaKuba (esquiar por uma semana) e depois conhecer outras cidades. Para um período como esse o que seria mais interessante fazermos? Quais lugares sugeriria para conhecermos? Como poderíamos tornar a viagem mais econômica? Eu estava planejando tirar férias em abril mas estou com problemas no meu trabalho e terei que tirar férias agora em dezembro. 🙁 Se pudesse me ajudar seria maravilhoso. Obrigada!

  28. Poxa… Que legal o seu site. Amo viajar por conta própria porque começo a viajar antes mesmo de chegar lá. E quando encontro informações tão detalhadas assim fica MUITO mais fácil.

    Obrigada e parabéns!

  29. Meu nome é marcelo kauati, e morei 7 anos no Japão, gostei muito de seu artigo sobre o Japão e como vc em pouco tempo conseguiu assimilar tanto sobre este país maravilhoso que é o Japão, vc está de parabéns, mas se você me permite só gostaria de fazer uma pequena correção sobre o nome do envio de malas e pacotes o nome correto é Takiyubin

    • Esqueci de completar que para quem não tem medo a melhor forma de se locomover no Japão é alugar um carro, todos possuem GPS e boa parte deles tem opção em inglês, inclusive algumas atualizações já tem até português, e se vc for passear pelos estados de Aichi-ken, Shizuoka e Mie a chance de vc cruzar com um brasileiro na rua é grande e vc pode até pedir uma ajudinha 🙂

      • Outra coisa, como você mora nos Estados Unidos a carteira de motorista dos Estados Unidos é válida no Japão, você pode alugar um carro tranquilo, dê preferência para toyota rent a car pois tem os melhores carros e preços.

  30. Adorei o texto, muito bom! Pretendo realizar uma viagem ao Japão esse ou no próximo ano. Como vou sozinho tenho um certo receio em relação a locomoção e comunicação, não sei se o Inglês vai me deixar na mão, ou se vou ficar perdido lá haha. Eu também tenho uma dúvida em relação ao planejamento; pra apenas uma pessoa, sai mais em conta comprar a passagem e a reserva no hotel avulsos ou com algum agente de viagens? (É a primeira vez que vou para o exterior).

  31. Boas dicas e informações mesmo para quem mora no Japão há muitos anos. Apenas uma atualização, devido a grande número de reclamação de turistas sobre a dificuldade de se adquirir chip para smartphones, foi lançado no final de 2014 o Japan Travel SIM q pode ser adquirido nas grandes lojas de eletronicos, redes de guest-houses e em alguns aeroportos. http://www.brastel.com/por/japantravelsim

  32. nossa…ajudou muito eu nunca fui no japao mais qro ir to com um peqna certaza de 100% q vou u.u
    o dinheiro de lá e disvalorizado.
    mais os preços tbm sao incriveis

  33. Olá, obrigada pelas informações, muito úteis.
    Minha dúvida é em relação a remédios. Sempre levo apracur e novalgina nas viagens, mas me falaram que o Japão tem muitas restrições quanto a medicamentos, isso é verdade? Seria melhor comprar nas farmácias de lá?

  34. Oi Luciana , vi seu site e achei bem legal.
    Em 2016 estarei indo com viagem só de ida para o Japão, sabe me informar quais meses do ano as passagens ficam mais baratas ?

  35. Adorei o seu blog e as dicas para o Japão, meu amigo esteve esse ano, e agora se tudo der certo irei com ele e ficaremos 1 mês por lá. Um dúvida, eu amo usar regatas eu poderia usar normalmente pela rua, mas sendo eu tenho uma tatuagem no biceps ?

  36. Olá, gostaria de alugar um apartamento ou casa em Kyoto, Japão, que tivesse 02 vasos sanitários tendo em vista que seremos 05 adultos e 01 criança. Você poderia me ajudar ? Indicar algum site ou alguém para locação ? Pois tudo o que estamos encontrando só tem 1 vaso sanitário. E sempre mais de um local para banho. Obrigada.

  37. BOA TARDE, ESTOU PENSANDO FAZER UMA VIAGEM PRO JAPAO E VENDO SUAS DICAS FIQUEI MAIS AGUÇADO AINDA. GOSTARIA DE SABER, HOJE, QUANTO SERIA MEUS GASTOS PRA FICAR 10 DIAS, INCLUINDO VOO, HOTEL E ALIMENTAÇAO, QUERIA UMA PREVISAO EM REAIS. TAMBEM GOSTARIA DE SABER ONDE FICAR, POIS IREMOS EM QUATRO PESSOAS E FAZER ESTA VIAGEM POR AGENCIA FICA SUPER CARO. OBRIGADO

DEIXE UMA RESPOSTA

Comente!
Por favor entre seu nome aqui